“Amanhecer esmeralda” ganha nova versão, e segue como reflexão social contemporânea

Ferréz é uma das grandes vozes artísticas da periferia de São Paulo. Assim os versos dos Racionais MC’s são fundamentais para o rap nacional, as narrativas assinadas pelo escritor expõem a sensibilidade de uma literatura que nos faz refletir sobre a real situação de grande parte da população paulistana. Vale ressaltar, que a arte também deve ser compreendida como ferramenta de crítica, e fonte de empatia.

Há quase dez anos o autor escreveu a obra Amanhecer esmeralda, que aborda a trajetória de uma menina chamada Manhã, nascida na periferia. O livro ganhará reedição a ser lançada durante a FLIP (Feira Literária de Paraty), evento que começou nesta quarta-feira (30) – o relançamento do livro ocorrerá amanhã (31), na Casa Editora DSOP. Ao ser questionado sobre como seria a rotina da protagonista, caso a história fosse narrada hoje, o autor é certeiro: “com certeza eu não mudaria nada, nascem milhares de manhãs todas as semanas nas periferias”.

O motivo do relançamento, no entanto, tem nobre missão didática, pois a narrativa que transborda renovação e esperança tem sido utilizada em muitas escolas, mas se encontrava esgotada no mercado. A nova edição foi consolidada com a aproximação da editora Simone Paulino e ganhou ilustrações elaboradas pelo artista espanhol Rafael Antón – uma delas abre este texto.

Se a situação atual nos faz crer que (quase) não existe amor em SP, como o rapper Criolo certa vez cantou, por meio da arte, neste caso, a literatura, é possível ter pelo menos esperança. “Acho que vivemos um mundo mais triste ainda, com a coisa do consumismo e tal, mas creio também na mudança do ser humano”, diz Ferréz. Eu concordo.

“Ao Farol”, de Virginia Woolf, ganha nova tradução no Brasil

 

Lembranças e experiências vividas na juventude costumam exercer influencia em determinadas obras literárias – na verdade, em grande parte delas. Com Virginia Woolf não foi diferente. O romance Ao Farol, lançado originalmente pela escritora inglesa em 1927, reúne acontecimentos que marcaram as férias de verão que a escritora passou com a família, na ilha de Godrevy.

A obra deu fama a um estilo de texto baseado no fluxo da consciência e no tempo psicológico, características presentes no legado da escritora. Dividido em três partes, Ao Farol narra a vida da família Ramsay e seus hóspedes, em sua casa de verão, na Ilha de Skye, no início do século XX.

O romance acaba de ganhar uma nova versão, lançada pela Autêntica Editora, cuja tradução fica por conta de Tomaz Tadeu – PhD em Educação pela Stanford University e tradutor de obras como A Ética, de Spinoza e O pintor da Vida Moderna, de Charles Baudelaire. Já o posfácio é assinado por Hermione Lee, crítica literária e biógrafa de Virginia Woolf.

O Cultura no Prato ficou um bom tempo sem publicar textos sobre literatura, mas, atendendo a pedidos dos leitores, iremos voltar a abordar o tema com mais frequência.

 

Serviço:

Ao Farol

Autora: Virginia Woolf.

Editora: Autêntica.

Páginas: 234.

Preço: R$ 47.

Livro da semana

A personalidade (e a obra) de Tolstoi

Como um mergulho na sociedade russa, a obra de Liev Tolstoi está entre as mais ricas da literatura universal. Ao nascer em uma família aristocrática russa, em 1828, o autor não apenas sobe retratar a aristocracia como também as demais camadas da sociedade de seu país.

Para entender melhor o universo que compõe a rica obra do escritor russo, o livro Tolstói, A Biografia, assinado pela biógrafa especializada em literatura russa, Rosamund Bartlett, acaba de ganhar edição nacional feita pela Biblioteca Azul.

Por meio da análise da autora, a vida do autor se mistura a de seus personagens, marcados por amores, fatos históricos e tragédias conhecidas em obras do porte de Guerra e paz (1869) e Anna Kariênina (1877).

A obra ainda reúne a árvore genealógica das famílias de Tolstói e de Sônia Berhs – a esposa com quem teve um atribulado relacionamento –, indicações de leituras complementares, iconografia e índice remissivo. Imperdível.

Serviço:

Tolstói, A Biografia

Autora: Rosamund Bratlett.

Tradução: Renato Marques.

Editora: Biblio teca Azul.

Páginas: 640.

Preço: R$ 69,90.

Livro da semana

O roteiro da história do cinema

 

Se as diversas escolas e vertentes fizeram o cinema ser este universo tão cativante, o autor Mark Cousins teve a precisão necessária para elaborar um dos roteiros mais ricos, capaz de narrar a história da sétima arte. Foi no importante História do Cinema – Dos Clássicos Mudos ao Cinema Moderno, que o olhar do escritor detectou as principais produções norte-americanas, asiáticas, sul-americanas e europeias.

Originalmente lançado em 2001, o livro chegou a inspirar uma famosa série da britânica BBC, em meados de 2011. Agora, a Martins Editora acaba de relançar a obra no Brasil, revistada e atualizada pelo autor, cujo texto dialoga com as principais mudanças ocorridas no cinema nos últimos anos.

Um dos fatores mais interessantes de História do Cinema – Dos Clássicos Mudos ao Cinema Moderno, é que o livro pode ser indicado tanto para consumidores árduos dos blockbusters hollywoodianos, como para frequentadores das mostras voltadas a produções mais alternativas. Nas páginas escritas por Cousins, a história do cinema é (ou pelo menos, deveria ser) narrada pelos bons filmes.

 

Serviço:

História do Cinema – Dos Clássicos Mudos ao Cinema Moderno

Autor: Mark Cousins.

Editora: Martins Editora. 

Páginas: 511.

Preço: R$ 89.

Livro da semana

O thriller sobre a garota desaparecida (e o jornalista fracassado, para variar)

 

Antes de redigir o texto sobre Garota Exemplar, novo romance da escritora norte-americana Gillian Flynn, eu gostaria de deixar uma pergunta no ar: por que os autores gostam tanto de criar histórias sobre jornalistas fracassados? Agora sim, podemos começar.

A narrativa deste eletrizante thriller começa no momento em que Nick Dunne vê sua carreira de jornalista ir por água abaixo em Nova York – agora você entende o motivo da revolta na abertura deste texto. Quando tudo parecia perdido, o tal rapaz conhece a bela Amy, se casa com ela e começa vida nova no Missouri, onde inaugura um boteco.

O inferno de Nick começa quando Amy desaparece misteriosamente, às margens do rio Mississippi. Quando o conteúdo do diário da moça vem à tona, o maridão azarado passa a ser o principal suspeito. Pobre jornalista, traído pelo ofício de escrever – até tu, texto?

A partir deste momento, o romance ganha corpo, com todos os ingredientes de um bom suspense: pistas, mistério e eventuais assassinos, que vez ou outra surgem na mente do leitor. No vídeo a seguir, a autora Gillian Flynn fala sobre o processo de elaboração da obra.

 

Garota Exemplar

Autora: Gillian Flynn.

Editora: Intrinseca.  

Paginas : 448.

Preço: R$ 31,90.

Livro da Semana

Poemas sobre economia

 

Em 2009, Europa e Estados Unidos viveram o auge de uma crise financeira capaz de refletir na economia global até hoje – inclusive no Brasil. Durante o período turbulento, muitas pessoas foram obrigadas a abandonar projetos, o desemprego aumentou e as dívidas da população alcançaram níveis preocupantes.

É justamente na última (e atual) grande crise mundial que o romance A Vida Financeira Dos Poetas, do escritor Jess Walter, está ambientado. A narrativa aborda a ousada decisão do jornalista Matt Prior, que aos 46 anos resolve abandonar o emprego para montar um serviço de notícias sobre economia na web. Tudo normal. O único problema é que os textos seriam redigidos no formato de poemas – algo como Manuel Bandeira escrevendo para o Valor Econômico, como todo o seu lirismo.

Quando o negócio dá errado, tudo parece acontecer ao mesmo tempo na vida de Prior, de maneira negativa, claro. As dívidas não param de chegar, a idade dificulta o retorno ao mercado de trabalho e a esposa, com medo de perder tudo, volta a flertar com um ex-namorado nas redes sociais.

O humor é usado de maneira inteligente pelo escritor Jess Walter para narrar um dos acontecimentos mais marcantes ocorridos no sistema financeiro norte-americano (e mundial), nos últimos tempos. Além disso, a cada trabalho, Walter crava seu nome entre os principais escritores da literatura atual. O Prêmio Edgar Allan Poe e os textos para publicações como Esquire e Playboy falam por si.

 

 

Serviço:

A Vida Financeira Dos Poetas

Autor: Jess Walter.

Editora: Benvirá. 

Páginas: 352.

Preço: R$ 39.90. 

 

Livro da semana

Norman Mailer encontra Marilyn Monroe

 

No hermético jornalismo diário, cujo distanciamento do repórter é regra (utópica) disseminada nos cursos que formam profissionais da informação, o estilo do texto está fadado a leituras rápidas – mas pouco prazerosas. Nada contra, a padronização é necessário. Se fugir do formato atual é possível apenas em momentos raros, recorrer a textos do romântico jornalismo literário (new journalism) pode ser uma alternativa, principalmente, quando célebres obras deste período são reeditadas. Como é o caso de Marilyn, do escritor e jornalista Norman Mailer (1927 – 2007). 

Relançada pela Record, a biografia da eterna musa de Hollywood mescla técnicas de literatura ao narrar a trajetória da atriz Marilyn Monroe (1926 – 1962) – em 1973, quando foi publicado, o livro chegou a ser capa da revista Time. A obra ficou 40 anos fora de catálogo no Brasil, e com a nova edição chega às livrarias para aguçar a leitura de amantes do cinema, literatura e jornalismo.

Marilyn é fruto de uma ampla pesquisa feita por Norman Mailer, capaz de reunir relatos sobre a vida amorosa da atriz, questionar a versão oficial de sua morte e narrar, com a sensibilidade de um jornalista perspicaz, a ascensão da jovem Norma Jeane ao patamar celeste de Marilyn Monroe. Uma reedição que merece ser celebrada.

 

 

Serviço:

Marilyn

Autor: Norman Mailer.

Editora: Record.

Páginas: 352.

Preço: R$ 39,90.