Resumo musical

Arcade Fire toca Devo

O Arcade Fire lançou na última semana o álbum Reflektor e tem se apresentado por aí sob o nome The Reflektors, sacada inteligente para promover a chegada do novo trabalho. Os shows da banda também têm surpreendido. Durante uma apresentação em Los Angeles, o Arcade Fire tocou uma versão interessante para “Uncontrollable Urge”, faixa do lendário grupo punk/new wave, Devo. Ficou legal.

 

Killers vai ao Jools… E Killers divulga nova faixa

O Killers lança a coletânea Direct Hits no próximo dia 11 de novembro. O tal resumo na trajetória da banda talvez antecipe um período de férias, ou talvez não. Há poucas (ou quase nenhuma) pistas. O novo trabalho terá duas faixas inéditas: “Shot at the Night” e “Just Another Girl”, esta última o grupo do Brandon Flowers divulgou nesta semana (vídeo abaixo). A banda também visitou o programa do mito Jools Holland, na BBC Two e tocaram, entre outras faixas, “Shot at the Night” – que particularmente acho bem bonita.

 

Chvrches lança novo video

Ah, essa banda Chvrvches tem arrancado elogios aqui no Cultura no Prato. Projeto indie-eletrônico dos bons, o grupo lançou recentemente seu primeiro álbum, Bones of What You Believe, trabalho cheio de referências legais e que colocou o Chvrches entre as bandas do momento. Nesta semana a banda divulgou o vídeo do segundo single do disco, “Lies” – o clipe está pode ser visto aqui. Já estou fazendo campanha para vê-los aqui no Brasil em breve!

 

Dose dupla de Bowie

O disco que trouxe David Bowie novamente ao cenário musical, The Next Day, vai ganhar uma versão com um rico material extra. Já falamos sobre isso aqui (hehe). Mas a novidade agora é que Bowie divulgou nesta semana duas das faixas inéditas que irão compor a nova versão de The Next Day. São elas: “Atomica” e “Born in a UFO” – confira a seguir. O material inédito ainda terá “Love is Lost (Hello Steve Reich Mix by James Murphy)”, “The Informer”, “Like a Rocket Man”, “I’d Rather Be High (Venetian Mix)” e “God Bless the Girl”. Valeu, Bowie!

 

Resumo musical

O campo sonoro do Bixiga 70

O grupo paulistano Bixiga 70 começou a ganhar destaque no cenário nacional, em meados de 2011, após fazer uma mescla interessante de afrobeat e jazz. Na última semana, o grupo lançou seu segundo trabalho, Bixiga 70, álbum que amplia o campo sonoro da banda. O novo disco reúne, além do já tradicional afrobeat do mestre Fela Kuti, ritmos jamaicanos e vibrações oriundas da Etiópia. No site do grupo é possível baixar o disco, de maneira gratuita ou paga – vamos contribuir aí, né pessoal! (hehe). Abaixo você assiste a uma entrevista recente, concedida pelo Bixiga 70 ao programa Metrópolis.

 

Killlers mostra vídeo novo

O The Killers irá revisitar sua carreira a partir do próximo dia 11 de novembro, quando chega às lojas a compilação Direct Hits. Nesta semana a banda de Brandon Flowers lançou o vídeo da faixa “Shot at the Night”, uma das duas inéditas que irão compor o novo trabalho. A canção traz uma sonoridade power-pop-80’s e ganhou um vídeo digno de um belo romance hollywoodiano (suspiros). Ah, a versão “deluxe” da coletânea terá uma versão do DJ Calvin Harris para “’When You Were Young’”, entre outros bônus.

 

Antes de desembarcar no Brasil, Palma Violets lança clipe

Na opinião deste que vos fala, o Palma Violets é uma das principais atrações do festival Planeta Terra deste ano. Digo isso porque é sempre interessante conhecer bandas que estão dando o que falar no competente rock inglês. E eles integram a nova (e boa) safra britânica. Os caras lançaram o álbum de estreia 180 no primeiro semestre de 2013, trabalho que rendeu elogios de veículos importantes, inclusive aqui, no Cultura no Prato. Nesta semana a banda divulgou o vídeo da ótima “Rattlesnake Highway”, que nada mais é que um rock básico, com dois minutos e pouco e que traz pitadas de Stones e Libertines. Preciso dizer mais alguma coisa? Acho que não.

 

Jools Holland recebe Franz e Pixies em semana indie

A gente sempre cita por aqui quando o gênio Jools Holland, da BBC, recebe bandas legais em seu programa. Na última semana dois importantes grupos do cenário indie rock – um clássico dos anos 90 e outro surgido no início dos anos 2000 – passaram pelo tradicional palco. O primeiro, o Pixies, levou ao programa canções que irão compor o EP-1, trabalho que precede um aguardado álbum de inéditas e que também marca a saída da baixista Kim Deal. O outro é o Franz Ferdinand, que mostrou ao público a dançante “Right Action”, que integra o recém-lançado Right Thoughts, Right Words, Right Action. São novidades como estas que alegram a nossa semana, hehe.

 

Icona Pop mostra força no Letterman

Elas roubaram a cena, literalmente. Há um tempo ocupando as principais paradas europeias, o duo Icona Pop visitou o programa do David Letterman na última semana, para promover o lançamento de seu primeiro álbum, This Is… Icona Pop. Durante a apresentação, as meninas tocaram a faixa “All Night”, canção que tem todos os ingredientes para se tornar “hit dos grandes”. Basicamente, o som da dupla não tem segredo, é apenas uma boa mescla de dance, pop, electro e boas melodias – do tipo que gruda na memória, sabe? Se você está afim de algo dançante, prove o som delas.

Resumo musical

De volta aos palcos, Arctic Monkeys mostra canção inédita

A ressaca do grupo inglês Arctic Monkeys, após o bem-sucedido Suck It and See, parece ter chegado ao fim. Nesta quarta-feira (22), durante uma apresentação no Ventura Theater, em Ventura, California, a banda voltou aos palcos e, logo de cara, mostrou a faixa inédita “Do I Wanna Know?”. O último show do Arctic Monkeys havia sido registrado em julho, na cerimônia dos Jogos Olímpicos. A canção nova dá pistas sobre a linha sonora do próximo álbum do grupo, que deve seguir o conceito “R U Mine” e “Evil Twin” – ou seja, o trabalho será mais pesado. A banda de Alex Turner está com a agenda cheia nos próximos meses e é uma das atrações principais do festival Glastonbury.

 

Momento cover: Killers toca clássico dos Strokes

O conceito cover tem marcado as últimas apresentação do Killers – fato que a gente aqui do blog Cultura no Prato não condena. Nesta semana, durante uma apresentação da banda no famoso Barclays Center, Brooklyn, o grupo do vocalista Brandon Flowers mandou um trechinho de “Is This It”, dos Strokes. A canção abre o álbum homônimo de estreia da banda de Nova Iorque, que por sua vez abriu caminho para uma porção de artistas legais, inclusive, para o Killers.  

 

Dave Grohl divide o palco com os Stones

Os Rolling Stones continuam fazendo as pedras rolarem nos Estados Unidos, com os shows que celebram os 50 anos do grupo de Mick Jagger e companhia. As apresentações têm sido marcadas por participações especiais de artistas do cenário pop internacional. Nesta semana foi a vez do ‘gente fina’ Dave Grohl. Convidado a subir ao palco, o vocalista do Foo Fighters tocou com os Stones o clássico “Bitch”, que você confere a seguir. Pode aumentar o som, vale a pena.  

 

Palma Violets e o novo hino indie britânico

Um dos destaques atuais do cenário musical do Reino Unido – ao lado da incrível Savages –, a banda Palma Violets divulgou nesta semana o vídeo da canção “Best of Friends”. A faixa integra o álbum de estreia do grupo, 180, lançado em fevereiro deste ano. O Palma Violets faz um som que mescla Stones e Libertines, ou rock dos anos 60 e coisas legais do cenário atual, para ser mais exato. Não à toa “Best of Friends” foi considerada uma das melhores canções de 2012, agora reforçada com um belo clipe.

 

Oba, uma faixa bônus do Daft Punk! E a Fórmula 1…

É, ficou difícil não falar sobre eles nos últimos dias. O duo francês Daft Punk está fazendo um tremendo barulho com o álbum Random Access Memories. Nesta semana a dupla divulgou uma faixa bônus, que integra a versão japonesa do novo disco, chamada “Horizon”. A canção é mais cadenciada, perfeita momentos mais reflexivos. Mas as novidades não param por aí, o Daft Punk ainda planeja lançar uma ‘versão remix própria’ do Random Access Memories, no próximo mês. Para finalizar o assunto Daft… – se é que é possível –, os franceses gravaram uma série de vídeos promocionais divulgados no site da Lotus F1 Team – sim, a famosa equipe britânica de Fórmula 1. Fecho este texto com um trecho da nota publicada no site da Pitchfork: “Some bands get their own shoe or clothing line. Some bands get their own skateboard decks. Daft Punk get a fucking RACECAR”. Sem mais.

 

Zooey atua e dirige novo vídeo do She & Him 

Lá vem a Zooey Deschanel com seu projeto musical fofo She & Him – ao lado do brother M. Ward. O duo lançou recentemente o ótimo álbum Volume 3 – com direito a cover incrível de “Sunday Girl”, da também incrível banda Blondie. Nesta semana a dupla divulgou o vídeo da canção “I Could’ve Been Your Girl”, primeiro single do disco. Detalhe: a Zooey dirigiu e atuou no clipe. Talento é algo para poucos, não é mesmo?

Na cola do Lollapalooza

O Pearl Jam, do vocalista Eddie Vedder, fechou o Lollapalooza 2013 (Foto Divulgação).
O Pearl Jam, do vocalista Eddie Vedder, fechou o Lollapalooza 2013 (Foto Divulgação).

O Cultura no Prato se aventurou na lama do tradicional Jockey Club, em São Paulo, para contar o que de melhor ocorreu no Lollapalooza 2013. Em meio a rostinhos bonitos e felizes, com suas camisetas de grupos legais (e nem tão legais assim), diversas bandas tocaram ao longo dos três dias de evento.

No primeiro dia só deu Killers. A banda liderada pelo vocalista Brandon Flowers, filho do Bono Boxx (hehe), soube tirar proveito do dia no qual algumas apresentações não agradaram muito, como o show ‘estranho’, para alguns, do Flaming Lips, que exagerou na dose ‘viagem experimental’. Sendo assim, o Killers literalmente jogou para a torcida, desfilando hits antigos e novos como “Somebody Told Me”, “Mr. Brightside”, “Runaways” e “Miss Atomic Bomb”.

O segundo dia chegou e com ele atrações de peso como Black Keys, Queens of the Stone Age, Franz Ferdinand, Alabama Shakes e Gary Clark Jr. Como os horários de Franz e Alabama coincidiram, fui obrigado a escolher e, considerando o fato de já ter visto o competente grupo escocês duas vezes, optei pelo estreante Alabama Shakes, da diva Brittany Howard.

O Alabama focou o repertório do show em seu primeiro disco, Boys & Girls, e mandou sucessos como “Hold On”, “You Ain’t Alone” e “I Ain’t the Same”. O ponto alto fica por conta da belíssima voz da vocalista Brittany Howard. Ao fim da apresentação, ouvi comentários do pessoal que voltava do Franz como: “foi o melhor (show) até agora”. É possível ter ideia de como foi a performance por lá, não é mesmo?

Antes do Alabama, vale destacar também o incrível Gary Clark Jr., que faz um rock-blues ao estilo Jimi Hendrix, com pitadas pop. “Bright Lights” tem um poder surreal ao vivo, canção que é forte candidata a ”momento mágico do evento”.

Hora do Queens of the Stone Age, uma das bandas mais aguardadas do Lolla 2013. Com baterista novo, o QOTSA trouxe o mago Josh Homme novamente ao Brasil e um repertório competente na bagagem. Foi insano: “No one knows”, “Burn the witch” e “Little Sister”, entre outras canções, fizeram o publico pular sobre a lama que cobria boa parte do chão do Jockey. Ainda sobrou tempo para a inédita “My God Is the Sun”, que também agradou.

O final do segundo dia de festival tinha o duo Black Keys como principal atração. O setlist girou em torno dos discos Brothers (2010) e El Camino (2011), mas surpresas como “Thickfreakness”, faixa-título do segundo álbum da dupla, também apareceram no repertório. Cabe dizer também que houve certa injustiça com o Black Keys, principalmente, em relação a comentários feitos nas redes sociais.

O ótimo momento da dupla no cenário internacional fez com que eles fossem escalados para fechar o sábado, tocando depois do Queens – banda que algumas pessoas defendiam como headliner do dia. Para analisar um artista, antes de tudo, é preciso conhecê-lo. Vale a pena refletir. Defesa feita, confesso que o lado direito do palco apresentou falhas, deixando a guitarra baixa, mas nem esse fator tirou o brilho da apresentação. Que foi linda, sim.

O terceiro o último dia chegou com a seguinte missão: ver as bandas Hives e Pearl Jam. O grupo sueco fez um show poderoso, até pessoas que estavam em frente ao palco principal, na espera pelo Pearl Jam, rasgaram elogios ao Hives. Também pudera, com o vocalista Howlin’ Pelle Almqvist endiabrado, como uma espécie de filho do Mick Jagger, o Hives mostrou todo o seu punk-garage-rock numa apresentação devastadora, com direito a palmas, autógrafo para fá enlouquecido, momento estátua (famoso nas apresentações do grupo) e hits como “Hate to Say I Told You So”, “Main Offender”, “Tick Tick Boom” e “Go Right Ahead”. Show perfeito.

A magia do Lollapalooza, com todos os eventuais defeitos de qualquer evento grande, chegou ao fim com o gigante Pearl Jam, do carismático Eddie Vedder. O grupo norte-americano fez um show “greatest hits”, como não poderia ser diferente para uma banda consagrada.  Lá estavam os clássicos “Alive”, “Jeremy” e “Do the Evolution”, para alegria geral, que foi ainda maior por conta dos ótimos covers de The Who, “Baba O’Riley”, e Ramones, “I Believe In Miracles”. Menção honrosa também aos brasileiros Criolo e Planet Hemp, cujos shows não deixaram nada a desejar aos gringos. Que venha o Lollapalooza 2014!

A seguir, alguns vídeos com os principais destaques:

 

 

 

 

 

 

Resumo musical

Um brinde ao grande Shadow Morton

A música perdeu, no último dia 14 de fevereiro, o compositor Shadow Morton, que morreu aos 71 anos por conta de um câncer. Morton escreveu grande parte dos sucessos do grupo feminino Shangri-Las, banda dos anos 60 que possui admiradores ilustres como Ramones e New York Dolls. Entre as canções assinadas pelo compositor estão os clássicos “Leader of the Pack”, “Give Him a Great Big Kiss” (vídeo abaixo) e “I Can Never Go Home Anymore”. O Cultura no Prato, claro, não poderia deixar de homenageá-lo.

 

Michael Stipe e Courtney Love no disco organizado pelo Johnny Depp

O Cultura no Prato tem acompanhado o lançamento do álbum colaborativo, idealizado pelo ator roqueiro Johnny Depp, que tem um monte de artistas legais como Tom Waits, Keith Richards, Iggy Pop e Patti Smith, chamado Son of Rogue’s Gallery: Pirate Ballads, Sea Songs and Chanteys. Nesta semana foi divulgada outra bela faixa que irá compor o álbum, a canção “Rio Grande”, parceria entre a Courtney Love e o Michael Stipe. A canção é cadenciada e tem um piano interessante ao fundo, os vocais, claro, não decepcionam. No site da Consequence Of Sound é possível ouvir uma prévia com 30 segundos de todas as canções que irão integrar o disco, clique aqui e confira.

 

Perdidas na floresta

Na última semana o trio feminino Haim, que está fazendo um sucesso absurdo na Inglaterra e que deve lançar seu disco de estreia no segundo semestre, divulgou a faixa “Falling”, dançante, que remete aos anos 80, à Cindy Lauper e blá blá blá. Pois bem, desta vez as meninas apresentaram o vídeo desta canção. As imagens mostram o trio perdido em uma floresta, onde as meninas tentam sobreviver, meditam e exibem um figurino ‘meio hippie’. Confira o vídeo a seguir.

 

Lana Del Rey: do novo vídeo ao Brit Awards

A dondoca Lana Del Rey divulgou na última semana o vídeo da canção “Burning Desire”, que integra a versão ‘paradise edition’ do álbum Born To Die. As imagens mostram a Lana num visual bastante sexy, com direito a carrão da Jaguar em alta velocidade. A moça ainda foi destaque na premiação Brit Awards, que ocorreu nesta semana, e faturou a categoria de Melhor Artista Feminino Internacional, desbancando as concorrentes Taylor Swift, Rihanna, Alicia Keys e Cat Power. Já pensou?

 

The Killers recebe Bernard Sumner (New Order)

Mesmo que nos últimos trabalhos do Killers o Brandon Flowers tenha absorvido o estilo de cantar do Bono Vox, é inegável que o grupo norte-americano bebeu muito na ‘fonte New Order’. Se no final de 2012, na roqueira e futebolística Manchester, o grupo precisou parar uma apresentação na metade por conta do sumiço da voz do Brandon Flowers, o grupo resolveu quitar sua dívida com a city centavo por centavo. Nesta semana, o Killers dividiu o palco com ninguém menos que Bernard Sumner, sim, o vocalista do New Order. Juntos eles tocaram a bela “Crystal”. A banda ainda encontrou fôlego para tocar “Don’t Look Back in Anger”, do Oasis. Uma estratégia e tanto para fazer as pazes com a cidade.

Resumo musical da semana

Macca, Dave, Krist e Pat

Bomba da semana! Paul McCartney lidera volta do Nirvana. Este seria o título ideal se o autor deste texto fosse sensacionalista o bastante (haha). O fato é que nesta semana o Madison Square Garden ficou pequeno. O show que teve como objetivo levantar recursos para as vítimas do furacão Sandy foi marcado pela ‘jam’ entre os ex-membros do Nirvana Kirst Novoselic, Dave Grohl e Pat Smear e o ex-beatle Paul McCartney – só isso, coisa singela, vai. O ‘dream team’ mandou a inédita e legal “Cut Me Some Slack”, que mescla “Helter Skelter” com punk rock à moda Nirvana. Acho que não preciso nem dizer que o vídeo foi manchete nos principais veículos de comunicação do planeta e hit do dia nas redes sociais. Cool.

 

O vídeo natalino dos Killers

Os caras do Killers já entraram no clima do Natal. O grupo aproveitou uma folguinha na turnê que passou recentemente pelo Reino Unido para gravar o single “I Feel It in My Bones”, com participação especial de músico e DJ Ryan Pardey e um Papai Noel malucão nas imagens do clipe. Ah, por falar no grupo liderado pelo Brandon Flowers, o Killers divulgou nesta semana o vídeo da canção “Miss Atomic Bomb”, música que integra o último álbum do grupo, Battle Born. O vídeo é bem interessante, com momentos de animação (com cara de desenho da Disney) e filme. Destaque para a fotografia.

 

Gavin and Gwen

O amor é uma coisa cafona, mas também bela. O casal ‘rock anos 90’, Gwen Stefani (No Doubt) e Gavin Rossdale (Bush), dividiram o palco durante o evento Almost Acoustic Christmas, de clima natalino, realizado no último dia 12. Ao tocar os primeiros versos da canção “Glycerine” somente com o acompanhamento de sua guitarra, Rossdale recebeu a esposa e, juntos, a dupla mostrou que também é afinada no palco. O público, claro, foi ao delírio com o momento ‘so sweet’. 

 

Cindy Lauper e as meninas

As garotas querem se divertir. E também cantar juntas. No último sábado (8), a cantora pop-anos-80 Cindy Lauper recebeu duas convidadas mais que especiais: Alexis Krauss, integrante do duo Sleigh Bells, e a cantora St Vincent. As convidadas dividiram o palco com Lauper durante o clássico “Girls Just Want To Have Fun”. O show ocorrido em Nova Iorque traz o nome “Cyndi Lauper e Amigos: Home for the Holidays”, apresentação na qual a cantora recebe diversos convidados. Sabe como é, período de final de ano, muitas festas e encontros com amigos.

 

Daft Punk e Decemberists chegam a Springfield

Os Simpsons já fazem parte da cultura pop. Ponto. Um dos desenhos mais ‘cool’ de todos os tempos recebeu o eletrônico e sumido Daft Punk (vídeo abaixo), no último domingo (9), ou um fanfarrão simplesmente vestido de Daft Punk, não importa, o que interessa é que a menção ao projeto musical de fato aconteceu. Ah, as aparições de famosos no seriado não param por aí, o grupo Decemberists também marcou presença. Adivinha só que vai dar aulas de música às crianças de Springfield?

The Killers seguindo os ensinamentos do U2

 

O grupo liderado por Brandon Flowers segue com os shows bem-sucedidos que integram a turnê de seu mais novo álbum, Battle Born. A sonoridade do disco traz, entre outras referências, fortes traços do U2 de Bono Vox, facilmente percebidos em canções como “Runaways”.

No último sábado (17), o Killers tocou no London’s O2 Arena, local que possui capacidade para 20 mil pessoas – assim como os shows grandiosos do U2. Em determinado momento da apresentação, o grupo mandou um cover de “With Or Without You”, famoso hit de Bono Vox e companhia (vídeo acima).

Coincidência ou não, o fato é que o Killers tem demonstrado estar bebendo da fonte U2 desde a divulgação dos primeiros singles de Battle Born. Seria o Brandon Flowers o novo Bono? Esta dúvida poderá ser tirada na edição 2013 do festival gringo Lollapalooza, já que o Killers é uma das atrações do evento.