Dia de celebrar Neil Young

Neil Young no Rock in Rio 2001, com a camiseta do Placebo.

Sintetizar o legado de um artista do porte de Neil Young em poucos parágrafos é impossível, mas neste 12 de novembro é ainda mais impossível não falar sobre ele. O músico que hoje completa 70 anos, aliás, possui carreira tão sólida quanto diversa na cultura pop, pois além de ter liderado o icônico Buffalo Springfield, entre 1966 e 1968, também idealizou a banda Crazy Horse e tocou com os cascudos Crosby, Stills & Nash. E isso não é pouco. Já no campo rítmico passeou pelo rock, folk e rockabilly.

Quando li uma postagem feita pela revista Uncut no Twitter, hoje pela manhã, sobre o aniversário de Neil Young, rememorei alguns acontecimentos, como o dia que encontrei o belíssimo Everybody Knows This Is Nowhere (1969) no canto de um sebo, empoeirado – é claro que comprei na hora, haha! –, ou aquele show no Rock in Rio em 2001, quando o músico usou uma camiseta da banda Placebo – pensa na alegria do Brian Molko ao ficar sabendo. Na verdade, milhões de coisas podem ser ditas sobre o cara.

A influência de Neil Young no rock é absurda, talvez um dos artistas mais admirados da turma de Seattle, sobretudo os grupos Nirvana e Pearl Jam, sem contar o incrível (e hoje extinto) Sonic Youth, de Thurston Moore e Kim Gordon. Mas a riqueza do trabalho do músico não está guardada no passado, pelo contrário, em 2012, ao lado da Crazy Horse, Young lançou os ótimos Americana e Psychedelic Pill.

No entanto, acho que um dos momentos mais brilhantes de Neil Young está materializado na faixa “Hey Hey, My My” (vídeo abaixo), canção que encerra o álbum Rust Never Sleeps (1979) – disco obrigatório para quem é fã do músico. A letra faz menção ao punk rock, que à época acabara de chegar ao cenário roqueiro, sem necessariamente ter sido convidado. Young entendeu a revolução de Johnny Rotten e cia, e fez questão de celebrá-la. Neil Young é o cara!

Anúncios

Resumo musical

O dia em que o Gang of Four tocou com a Alison Mosshart

O Gang of Four lança no próximo dia 24 de fevereiro o álbum What Happens Next. Da formação clássica da banda de Leeds, apenas o guitarrista Andy Gill – sim, o mesmo que veio ao Brasil participar das homenagens ao Legião Urbana. Nesta semana, o Gang of Four divulgou a boa “England’s In My Bones”, faixa que conta com a participação da incrível Alison Mosshart (The Kills), e que irá integrar o novo álbum do grupo inglês. O visual punk da moça no vídeo, aliás, remete ao efervescente ano de 1977.

Arte, música e Alt-J

O ótimo Alt-J, grupo inglês que se apresenta no Lollapalooza Brasil deste ano, tocou na última semana na Chapelle des Beaux-Arts, importante escola de arte parisiense. A mescla indie-art, de climão real cool, está disponível para ser conferida na íntegra – clique aqui e assista. A impressão que fica é que o Alt-J será uma das atrações obrigatórias desta edição do Lolla BR. A seguir confira o teaser do show.

Giorgio and Minogue

Uma verdadeira lenda da disco music, o DJ e produtor Giorgio Moroder estava adormecido nos arquivos da música pop até ser evocado pela dupla Daft Punk, no álbum Random Access Memories. E o retorno do artista irá se consolidar neste ano, com o lançamento do álbum 74 Is the New 24 (curti o nome, haha), ainda sem data de lançamento. Nesta semana, Moroder divulgou o vídeo da faixa “Right Here, Right Now”, que traz a participação da cantora Kylie Minogue. Além da australiana, o disco terá participações de Charli XCX, Sia e Britney Spears, entre outros nomes.

Marilyn Manson toca com a molecada do Unlocking The Truth

O roqueiro Marilyn Manson se apresentou em Bethlehem, Pennsylvania, na última semana. Durante a faixa “The Beautiful People”, Manson recebeu no palco a banda Unlocking The Truth, formada por adolescentes e que vem ganhando espaço no cenário musical. A molecada dividiu os vocais com o (quase) tio Marilyn Manson.

Neil Young e o brother Jimmy Fallon

O importante Neil Young visitou nesta semana o programa Tonight Show, do apresentador e figura Jimmy Fallon. Juntos, Fallon e Young tocaram a boa “Old Man” – e a versão ficou bem legal, viu. Em seguida, ao lado da banda The Roots, o gênio folk ainda tocou “Who’s Gonna Stand Up?” – clique aqui e confira. Que noite!

Resumo musical

The Who divulga faixa inédita, e evoca AC/DC e Daft Punk

A sexta-feira não foi especial apenas pela aguardada chuva que resolveu cair em São Paulo. Pela manhã, acessei a página do jornal britânico Guardian e me deparei com a nova faixa divulgada pelo The Who. A canção, intitulada “Be Lucky”, vai integrar a coletânea The Who Hits 50, celebração dos cinquenta anos do lendário grupo – um dos pilares da invasão britânica, ao lado de Beatles e Stones. Se na linha do tempo do Who a sonoridade da faixa remete ao final da década de 1970, a letra parece reforçar essa conexão ao mencionar AC/DC e Daft Punk, a primeira setentista e a outra ambientada em nosso tempo. É claro que a menção ao AC/DC mexe vem carregada de sensibilidade na semana na qual a banda australiana anunciou a saída do guitarrista Malcolm Young, e em meio a todos esses ingredientes ainda há espaço para uma voz robótica (quase sampleada) à moda Daft Punk.

Neil Young lança álbum em novembro

Acompanhado pelo compositor Chris Walden e uma orquestra com mais de noventa músicos, Neil Young entre em estúdio para gravar seu próximo álbum, chamado Storytone, previsto para ser lançado em 4 de novembro. Nesta semana o lendário cantor divulgou o primeiro single do novo trabalho, a faixa “Who’s Gonna Stand Up? (and Save the Earth)”, de letra engajada em políticas ambientais – deixando, inclusive, uma mensagem embasando a causa em sua página na web.

O retorno do Weezer

O Weezer prepara o lançamento de seu próximo álbum, intitulado Everything Will Be Alright in the End, cujo lançamento está previsto para o dia 7 de outubro. Nesta semana a banda divulgou duas faixas que irão integrar no novo trabalho: “The British Are Coming” (clique aqui e ouça, via Under the Gun Review) e “Back to the Shack” (vídeo abaixo). Nos próximos dias a banda começa uma série de shows nos Estados Unidos e, já que estamos aguardando a divulgação do line-up do Lolla 2015, quem sabe eles aparecem por aqui. Acho que seria uma boa.

Black Keys e a incrível “A Girl Like You”

Quem nunca se flagrou cantando a faixa “A Girl Like You”, do músico britânico Edwyn Collins? Eu já, e um monte de outras pessoas também, aposto. O cantor hoje atravessa um momento difícil, por conta de um derrame cerebral que o impede de voltar a fazer música. Lado triste da história. Mas, como os caras do Black Keys também cativam um carinho especial pela faixa composta por Collins, eles resolveram tocá-la durante o show da dupla, ocorrido no Schottenstein Center, Ohio, no último dia 5 de setembro. Cool.

Ryan Adams faz jam com o Johnny Depp

O roqueiro e ator nas horas vagas (haha) Johnny Depp participou da apresentação do músico Ryan Adams, ocorrida na última semana. Famoso por tocar com astros do rock, Depp mostrou habilidade com a guitarra durante as canções “Mother” (cover da banda Danzig, que você confere no vídeo abaixo) e “Kim”, do álbum homônimo do cantor norte-americano. O ator recentemente gravou também uma das guitarras da faixa “Aching For More” (clique aqui e confira), b-side do single “Gimme Something Good”, lançado no último mês.

Resumo musical

Temples quer um 2014 psicodélico

O ano começou e algumas bandas promissoras começam a ganhar destaque no cenário musical. Uma delas é a britânica Temples (de indie rock e que bebe na fonte Beatles fase Revolver). O disco de estreia do grupo sai somente em fevereiro, mas nesta semana muitas das canções que irão compor o trabalho vazaram na web. Adoramos quando isso acontece (haha). Estão lá, no Soundcloud, “The Golden Throne”, “Keep in the Dark”, “Sun Structures” (faixa-título) e o single “Mesmerise” – este já conhecido, você confere a seguir.

 

Vídeo raro no Nirvana vaza na web

No começo desta semana, os fãs de Nirvana foram ao delírio com a divulgação de imagens inéditas da banda, gravadas em 1993, no Great Western Forum, em Los Angeles. Quem divulgou o vídeo foi o diretor David Markey, que assina o documentário 1991: The Year Punk Broke. Achei bem legal porque o show gravado faz parte da turnê do disco In Utero, o meu álbum favorito dos caras (sério!). “Eu estava ao lado do palco do Kurt, no fórum da minha cidade natal, Los Angeles, e capturei a última filmagem que veria dessa banda”, palavras de Markey, no YouTube. Valeu, brother!

 

Chvrches: da rádio SiriusXMU à versão para “Tightrope”

O trio escocês Chvrches é legal, você já sabe, a gente sempre diz isso por aqui. Esta afirmação é fruto do ótimo disco de estreia do grupo, The Bones of What You Believe, lançado no final do ano passado. E eles estão com tudo mesmo. Nesta semana gravaram um pocket show na rádio SiriusXMU, simplesmente lindo, e ainda participaram do evento promovido pela Billboard, chamado Women in Music, que celebra as garotas na música – menção, nesta caso, a gracinha Lauren Mayberry, responsável pela voz do grupo. No encontro dedicado às garotas, o Chvrches mandou uma versão para “Tightrope”, hit da também garota Janelle Monáe – que estava no evento. Ficou incrível.

 

Radkey: um destaque para 2014!

O Cultura no Prato sempre pega carona em assuntos relevantes de publicações legais especializadas em música – você já deve saber, hehe. Nesta semana, a NME escreveu em seu blog uma lista imensa trazendo bandas novas, que podem (ou não) ser destaque em 2014. Dei uma boa fuçada lá e, entre coisas legais e nem tão legais, me deparei com a banda norte-americana Radkey. O som dos caras segue a linha do punk rock americano, muito bem tocado e com um pé na Califórnia e outro em Nova Iorque. Eles têm um EP, chamado Cat & Mouseclique aqui e baixe –, e em breve deve pintar disco de estreia.

 

Neil Young dando uma de João Gilberto (haha)

Nosso gênio João Gilberto não é o único a ter a personalidade forte (difícil, hehe). O lendário Neil Young também deu o que falar nesta semana quando encrespou com o público, durante um show no Carnegie Hall, em Nova Iorque. Ele estava impossível: reclamou de pessoas falando entre as canções, pediu para ser ouvido e interrompeu a canção “Ohio”, por conta de palminhas fora do ritmo (sério!). Acho esses chiliques geniais, sabem por quê? Eu explico. Na boa, os caras são humanos e, assim como nós, nem sempre se encontram em um dia bom, mesmo nos shows. Abaixo, o surto Neil Young.

Neil Young lança álbum com canções ao vivo gravadas em 1970

 

Boa parte de um material proveniente de uma série de shows realizados pelo gênio Neil Young, entre novembro e dezembro de 1970, será lançada no próximo dia 10 de dezembro, no álbum Neil Young Live At The Cellar Door – lá fora, claro, no Brasil o lançamento deve atrasar, mais ou menos, um mês.

À época dos shows, Neil Young havia acabado de lançar o ótimo After The Gold Rush, portanto, trata-se de um período importante na carreira do músico. Como o disco deve demorar um pouquinho para chegar por aqui, você pode escutá-lo na web – clique aqui e ouça.

É sempre bom saber que um artista do naipe do Neil Young segue presenteando os fãs com trabalhos legais. Em novembro, o cantor recebeu uma homenagem de uma turma formada por Pearl Jam, Peter Buck (REM) e as meninas do Sleater-Kinney: Carrie Brownstein, Corin Tucker e Janet Weiss.

Esse timaço mandou uma versão incrível de “Rockin’ In The Free World”, confira a seguir.

 

Vinte e oito minutos para celebrar Neil Young

 

Neil Young completa 67 anos, grande parte deles, dedicados ao folk rock – a comemoração ocorreu oficialmente na última segunda-feira (12). A trajetória do músico começa à frente do importante Buffalo Springfield, durante os anos 60, em seguida atravessa o lançamento de discos do naipe de After the Gold Rush (1970) e Harvest (1972). Tudo isso, claro, sem contar a parceria de longa data entre Young e a banda Crazy Horse, que rendeu discos como Everybody Knows This Is Nowhere (1969), Live Rust (1979) e os recentes Americana e Psychedelic Pill, lançados neste ano. Ufa, o tio Neil Young tem história pra contar – e repertório para cantar.

O aniversário desta verdadeira lenda da música, que chegou a celebrar Johnny Rotten em Hey, Hey, My, My, coincide justamente com o lançamento do vídeo da canção “Driftin Back”, que integra o recém-lançado álbum Psychedelic Pill. O clipe traz um clima retrô, com imagens históricas de Neil Young e seus brothers da Crazy Horse (Billy Talbot, Ralph Molina e Frank “Poncho” Sampedro).

Os 28 minutos que embalam a trip “Driftin Back” dialogam com a extensa carreira de Neil Young – músico que possui admiradores como Pearl Jam e Sonic Youth, entre muitos outros. Aos 67 anos, dono de uma disposição que gerou dois álbuns somente neste ano, Neil Young prova que ainda tem gás suficiente para continuar nos presenteando com belas canções.

Resumo musical da semana

Neil Young e a Crazy Horse agitam a estrada

O titio Neil Young e a Crazy Horse divulgaram nesta semana outro belo vídeo, desta vez da canção “Twisted Road”, que irá integrar o álbum duplo Psychedelic Pill, previsto para chegar às lojas em 30 de outubro – o segundo disco dos caras neste ano. Eu já havia comentado sobre a letra da música por aqui, mas, o vídeo com ares de road movie, num climão meio Into The Wild, merece destaque. Se a letra passeia por canções que fizeram a cabeça de Neil Young e seus brothers, o vídeo traz lembranças de viagens e shows de nomes como Bob Dylan, Roy Orbinson e Grateful Dead. Aumente o som!

 

Karina Buhr no cinema, mermão!

A cantora e performer Karina Buhr gravou uma participação especial no filme Era uma vez eu, Verônica, de Marcelo Gomes, um dos destaques da 36ª Mostra Internacional de Cinema, evento que começa hoje (19), em Sampa. No teaser abaixo dá pra conferir o trecho no qual Karina Buhr canta a bela “Mira Ira”.

 

O EP novo dos Black Keys

A atração mais aguardada do festival gringo Lollapalooza – na minha opinião, claro –, o duo Black Keys, lançou na última semana o EP Tour Rehearsal Tapes, gravado ao vivo no estúdio, em dezembro de 2011. O trabalho já está disponível no iTunes. A dupla ainda afirmou recentemente que já está trabalhando novas faixas que irão integrar o próximo álbum da banda, previsto para 2013 – mesmo ano que eles tocarão no Brasil. Rá! Abaixo você confere a versão studio-live de “Dead and Gone”.

 

O vídeo aquático do XX

Eis outro belo fruto do álbum Coexist, do grupo XX. Nesta semana a banda divulgou o vídeo do single “Chained”, produzido por Young Replicant, em parceria com o The Creators Project. As imagens aquáticas impressionam, mas, segundo os próprios caras do XX, “fizeram a banda passar dois dias submersa”. Exageros à parte, o resultado foi satisfatório.

 

Paul Banks agora é solo

O líder do Interpol, Paul Banks, se aventura em carreira solo, aproveitando a pausa de sua banda. O álbum Banks será lançado em 23 de outubro, pelo selo Matador Records. A canção “The Base” (vídeo abaixo) está disponível para dowload e o disco pode ser escutado na íntegra aqui. A sonoridade do Interpol é presença marcada, o que não se trata de nenhum deslize.

 

Toca Patti, Shirley!

Antes de fazer o palco do Planeta Terra tremer, no próximo sábado (20), Shirley Manson e seu Garbage fizeram uma apresentação memorável em Houston, na última semana. Em determinado momento, Shirley convocou a vocalista da banda Screaming Females, responsável pela abertura do show, para um belo cover de “Because The Night”, da poeta-punk Patti Smith. Vale lembrar, que o show agendado para esta semana em São Paulo marcará a primeira visita do Garbage ao Brasil. Show histórico à vista!