Resumo musical

E rolou Blondie no Super Bowl, yeah!

Foi no pomposo (e às vezes “chatinho”) Super Bowl 2014 que ocorreu um dos shows mais legais da última semana. Ok, o assunto já foi abordado ao extremo, mas, pouco se falou da aparição do incrível Blondie – banda linda de punk-new-wave liderada pela também linda Debbie Harry. O Cultura no Prato não pode deixar passar este fato, não quando as canções escolhidas pelo grupo são “Call Me” e “Heart of Glass”. Clássicos!

 

Lirinha lança clipe de “Eletrônica Viva”

Na última sexta-feira o artista Lirinha subiu ao palco do Sesc Vila Mariana para lançar o vídeo da canção “Eletrônica Viva”. Na ocasião, a primeira exibição foi conferida em primeira mão pelo público que compareceu ao local. Nesta semana o novo clipe foi divulgado na plataforma Vímeo (clique aqui e veja). A direção é assinada por Mônica Rodrigues Fernandes e Mozart Fernandes, já o cenário contou com a participação do projeto artístico MorteVida, que fez uma intervenção bem interessante no vídeo.

 

Da série pop encontra o indie: Miley toca Monkeys

Curto demais essas coisas, sério. Covers insperadas sempre surpeendem, não importa o contexto. Já vimos por aqui até o Vanguart tocar Molejo, ou seja, não há limites – e isso é muito bom. Na última semana, a nova heroína pop, Miley Cyrus, gravou o famoso e ainda viável MTV Unplugged. Como se não bastasse receber a rainha pop Madonna, Cyrus decidiu também tocar “Why´d You Only Call Me When You´re High”, do hoje gigante Arctic Monkeys. O “acústico” deve ir ao ar em breve e a versão para o som dos Monkeys ficou bacaninha, sim. Confira a seguir.

 

Beck divulga “Waking Light”, outra do novo álbum

O cantor Beck lança no próximo dia 25 de fevereiro, via Capitol Records, seu próximo álbum, Morning Phase. Além da bela “Blue Moon”, que foi divulgada há poucos dias, o músico mostrou nesta semana outra faixa que irá compor o novo trabalho, chamada “Waking Light”. Não achei a canção tão boa quanto a “Blue…”, mas, é somente a singela opinião do autor deste texto (hehe).

 

Karen O e N.A.S.A celebram Bob Marley

A genial Karen O se juntou ao duo N.A.S.A para gravar o clássico “I Shot the Sheriff”, do incrível Bob Marley, cujo nascimento foi celebrado no último dia 6 deste mês. O Yeah Yeah Yeahs da Karen já havia flertado com elementos da música jamaicana – como overdubs e ecos dub – em seu último álbum, Mosquito. A versão pode até ter trazido o reggae a um lado mais pop-experimental, mas não dá pra dizer que ficou ruim. Valeu, Karen.

Anúncios

Resumo musical da semana

This one goes to Brian

O negócio é sério. Na última terça-feira (3), há 43 anos, o mito e fundador dos Rolling Stones, Brian Jones, faleceu. A morte dele até hoje é um mistério. Pois bem, se na página oficial dos Stones tem homenagem a esse cara tão brilhante, aqui no blog não poderia ser diferente. Brian, essa é pra você!

 

Novas do Blur

Lançamento em dose dupla. O ótimo Blur divulgou nesta semana, via Twitter (moderninhos, hein?) duas canções novas. As canções são “Under the Westway” (vídeo abaixo) e “The Puritan” (clique aqui e confira). Em agosto, o grupo de Damon Albarn irá se apresentar na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres.

 

Bob Marley nos cinemas 

Neste mês os cinemas brasileiros devem finalmente receber o aguardado documentário Marley, dirigido por Kevin MacDonald, sobre o maior nome do reggae, Bob Marley (óbvio!). Se você é fã do cara, assim como o autor deste texto, o filme é obrigatório.

 

Iggy and Bethany

A vocalista Bethany Cosentino é uma doce beldade do cenário musical de hoje, já Iggy Pop é o responsável pelo nascimento do punk rock. Embora distantes na linha do tempo, ambos se encontraram para dividir os vocais na canção “Let’s Boot and Rally”, escrita por Gary Calamar para ser trilha sonora da série True Blood. Na faixa Bethany abandona a temárica ensolarada de sua banda Best Coast para mergulhar no clima ‘dark’ ao lado de Iggy. Show.

 

Azealia trabalhando

Senhoras e senhores, eis a nova canção de Azealia Banks. Uma das principais representantes dessa tal “nova safra de rappers” e atração confirmada no festival Planeta Terra, a moça divulgou nesta semana a faixa “Nathan”, que irá compor um EP previsto para 11 de julho.  

Resumo musical da semana

O rei do blues novamente no Brasil

Um dos grandes mestres do blues, o eterno BB King, fará novamente shows no Brasil (boa notícia, hein?). As apresentações irão ocorrer no Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo (nos dias 5 e 6 de outubro, no Via Funchal, e no dia 7, no Bourbon Street). Os ingressos começaram a ser vendidos na última segunda-feira (14).

 

O país do futebol… E do reggae

O Brasil agora terá um dia especial para comemorar o ritmo musical divulgado pelo grande Bob Marley, o reggae. Isso mesmo, na última segunda-feira (14), a presidente Dilma Rousseff sancionou o projeto de lei, de autoria do deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) – hoje ele é senador –, que estabeleceu o “Dia Nacional do Reggae”. Agora, o reggae será festejado no Brasil na data de 11 de maio. Segue o texto de Rollemberg: “É relevante mencionar a absorção de outros ritmos musicais estrangeiros que, sem dúvida, ‘caíram’ no gosto do brasileiro. O legado que Bob Marley deixou ao mundo vai muito além do reggae: é através deste que muitos artistas brasileiros usam o meio da música para fazer legítimas críticas sociais. A influência deste estilo musical é tamanha em alguns estados brasileiros, que já há lei municipal que instituiu o dia do reggae.”. Legal, né? Só para lembrar, há poucos dias Dilma Rousseff também sancionou a lei que criou o “Dia Nacional da Música Popular Brasileira”, comemorado em 17 de outubro, data do nascimento de Chiquinha Gonzaga. Vai, Brasil!

 

Novo álbum do Garbage na área

O Garbage reforçou a volta do grupo com o lançamento do álbum Not Your Kind of People, na última segunda-feira (14) – data de estreia do disco nos Estados Unidos e Europa. Este foi o segundo lançamento mais legal da semana, sorry, em primeiro está o ótimo Ya Know, do Joey Ramone – confira o último post do blog. No site da revista New Musical Express dá pra ouvir trechos das canções, o que permite analisar o clima do disco. Abaixo você confere o primeiro single, a faixa “Battle In Me”. Em breve teremos a resenha do álbum aqui no blog, aguardem!

 

Kills no Coachella e quem sabe também no Brasil

Como alguns festivais legais, como o SWU e o Planeta Terra, que irão ocorrer no segundo semestre não se manifestaram sobre os respectivos line-up, a gente fica torcendo por aqui para que bandas legais venham ao Brasil. Uma delas, pelo menos na minha opinião, é o incrível duo The Kills, que teve um vídeo novo divulgado nesta semana, pela gravadora Dominio Records. A canção se chama “DNA” e o show foi gravado no importante festival Coachella, que ocorre anualmente na Califórnia.

 

Wagner Moura é da Legião

O ator Wagner Moura vai interpretar o lendário Renato Russo. Calma, não se trata de nenhum filme sobre a vida do vocalista da banda Legião Urbana, mas uma reedição do grupo. O show está sendo organizado pela MTV e vai ocorrer entre os dias 29 e 30 de maio. Abaixo você confere um trecho do filme Vips (2011), no qual o ator dá voz à canção “Será”. Confira também a seguir mais informações sobre o show.

 

Serviço:

Tributo à Legião Urbana

Dias 29 e 30 de maio, às 21h, no Espaço das Américas (Rua Tagipurú, 795, São Paulo).
Preço: R$ 200 (compre pelo site: www.ticket360.com.br ou no local do show).  Contato: 2027-0777.

Bob Marley na Virada Cultural

 

Enquanto a Praça Júlio Prestes recebe, na Virada Cultural, atrações musicais que irão tocar ritmos jamaicanos e africanos, como Toots And The Maytals e Gilberto Gil, o rei do reggae será lembrado na programação da Cinemateca Brasileira, que também participa do evento em São Paulo.

O público poderá conferir o documentário Bob Marley: the making of a legend (vídeo acima), de Esther Anderson e Gian Godoy. O filme é inédito no Brasil e narra a vida do músico, destacando momentos que vão desde o início de carreira do mito jamaicano até o auge do sucesso do cantor.  

Serviço:

Bob Marley: the making of a legend

Dia 5 de maio, às 18h.

Cinemateca Brasileira (Sala Cinemateca BNDES).

Informações: (11) 3512-6111 (ramal 215).

 

Para conferir a programação completa da Virada Cultural, clique aqui.

Resumo musical da semana

Atari remarcado

O show da explosiva banda alemã, Atari Teenage Riot, foi remarcado para o dia 15 de junho. Uma inflamação na garganta da vocalista Nic Endo fez com que a banda alterasse a data da apresentação, que vai ocorrer na casa de shows Cine Joia, em São Paulo. O grupo irá trazer na bagagem o repertório do último disco Is This Hyperreal? (2011). Os alemães também estão confirmados no festival Coachella 2012, um dos mais importantes eventos musicais do planeta. O vídeo abaixo mostra uma apresentação da banda de punk/eletrônico que terminou em confusão.

 

A banda Best Coast tem novidades

A banda liderada pela bela Bethany Cosentino divulgou nesta semana, durante apresentação no festival SXSW, no Texas, três canções (clique aqui e confira) que irão integrar seu segundo álbum. O novo disco irá se chamar ‘The Only Place. Quem sabe o Best Coast não aparece por aqui este ano – eu, pelo menos, estou na torcida . Abaixo você confere a faixa título do próximo trabalho do grupo.

 

John Lydon vem aí

O lendário John Lydon, também conhecido como Johnny Rotten nos tempos de Sex Pistols, liderou uma apresentação fechada (para cem pessoas) de sua outra superbanda, Public Image Ltd (PIL), na última segunda-feira (19), na famosa loja Record Store Day. De acordo com a revista New Musical Express, o grupo prepara o lançamento de canções inéditas, previsto para 21 de abril.

 

Um documentário sobre o rei

Não estou falando do Roberto Carlos, rei da Jovem Guarda, muito menos de Pelé, rei do futebol. Quando o assunto é o ritmo jamaicano reggae Bob Marley ocupa o posto mais alto entre os artistas deste gênero contagiante. Nesta semana o trailer do documentário Marley – Docuementary, dirigido por Kevin Macdonald e que contou com a colaboração de familiares e amigos do músico foi divulgado. O filme também reúne depoimentos de nomes importantes da música jamaicana. Aguardamos o lançamento deste importante registro aqui no Brasil.

 

Filma Raul!

Hoje é um grande dia para os fás do eterno Raul Seixas. Estreia nesta sexta-feira (23) o documentário Raul: O início, o fim e o meio, filme dirigido por Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel. Os diretores reuniram um rico material para narrar a trajetória de um dos maiores artistas da música brasileira, que foi capaz de mesclarr referências que vão de Elvis Presley a Luiz Gonzaga. Vale a pena conferir.

 

 

 

 

Resumo musical da semana

O rei do reggae

A semana começou com uma festa reggueira. Se estivesse vivo, Bob Marley – ídolo máximo do ritmo jamaicano – completaria 67 anos. O músico foi fundamental na divulgação do reggae, que chegou até a sacudir a Inglaterra em tempos de punk rock. No final dos anos 70, Marley visitou o Reino Unido e ao conhecer bandas como Clash, Jam e Damned escreveu a canção Punky Reggae Party, uma espécie celebração onde o som dos Wailers encontram a vertente roqueira que estava fazendo a cabeça da molecada londrina.

 

Com a língua afiada

Os Black Keys estão com tudo. Numa tacada só os caras lançaram o vídeo da canção Gold On The Ceiling, do álbum El Camino, desembarcaram na Inglaterra para shows concorridíssimos e concederam entrevistas ao pessoal da imprensa inglesa. Durante uma conversa com a MTV britânica, a dupla formada pelo vocalista e guitarrista Dan Auerbach e o baterista (e às vezes produtor) Patrick Carney criticou a nova musa pop Lana Del Rey. Os caras disseram que “se sentem mal por artistas como a autora de Born To Die”. Coitada da Lana…

 

O adeus de Wando

O Brasil perdeu um dos maiores representantes da música romântica, o cantor Wando, que morreu na última quarta-feira (8), após uma parada cardíaca. Se o coração do músico parou, o das fãs ficou apertado, o enterro do cantor foi bastante movimentado porque pessoas de diversas regiões do país foram até Minas Gerais para prestar as últimas homenagens. As canções de Wanderley Alves dos Reis esbanjavam sensualidade e em seus shows as fãs costumavam arremessar calcinhas no palco. Vai ser difícil algum galã contemporâneo alcançar esse patamar… Dá só uma olhada no vídeo abaixo…

 

São Paulo ansioso por Morrissey

Os fãs de Morrissey e, consequentemente, dos Smiths têm motivos para comemorar. Afinal de contas, o lendário músico inglês fará três shows no Brasil, um deles no dia 11 de março em São Paulo. Além de Sampa, o cantor ainda toca no Rio de Janeiro (9) e em Belo Horizonte (7). A confirmação ocorreu nesta semana e talvez tenha sido o anúncio mais importante (ao lado dos Vaccines, mas deles já falamos bastante por aqui, não é mesmo?) do ano até o momento.O repertório do cara é impressionante, vai de discos solo, como o ótimo You Are the Quarry (confira o vídeo abaixo!), até os clássicos da era Smiths. Realmente promete!

 

O jazz de outra galáxia

O jazzista/afrofuturista Sun Ra viajou até Saturno para criar um estilo único. Os shows do cara vertem bebop, swing e são capazes de fazer qualquer músico experimental ir direto para o mundo da Lua. A lenda do jazz acumula fãs ilustres como Iggy Pop e Nação Zumbi e vai fazer o Sesc Pompéia flutuar neste final de semana (dias 11 e 12). E aí, vai perder essa viagem?

 

Bob Marley day!!

 

Se o reggae tivesse outro nome, certamente seria Bob Marley. Esta afirmação não é nenhum exagero considerando a importância que o músico exerceu dentro de estilo musical nascido na Jamaica.

Nesta terça-feira, 6 de fevereiro, Marley completaria 67 anos se estivesse vivo. Nas redes sociais, os fãs expressaram o carinho postando fotos e vídeos do eterno rei e, talvez, o artista mais importante nascido em um país de “terceiro mundo”, ou seja, fora do eixo EUA/Europa.

Antes de Marley surgir à frente dos Wailers, poucas pessoas ouviam reggae. Além disso, o estilo jamaicano foi expandido de tal maneira que, dentre seus fãs ilustres, estavam Eric Clapton, Paul McCartney e grupos britânicos de punk rock do final dos anos 70.

Outro aspecto presente no legado de Bob é a riqueza de suas canções. A militância e a abordagem sócio-política estão em grande parte de suas letras. Em 1980, Bob Marley se apresentou no Zimbabwe, durante as celebrações de independência do país africano.

A morte do mito jamaicano, no dia 11 de maio de 1981, após perder a batalha contra o câncer, deixou um vazio enorme no universo musical. Talvez de intensidade igual a nomes como John Lennon, Elvis Presley e James Brown.

Acima você confere a canção “Positive Vibration”, do álbum Rastaman Vibration, de 1976, o favorito do autor deste texto. E na sua opinião, qual é o melhor disco de Bob Marley? Comente!