Resumo musical

Spike Jonze presenteia Karen O com vídeo. É muito amor!

Na semana de lançamento do álbum Crush Songs, disco lindo recheado de canções intimistas violão-voz da Karen O, o diretor Spike Jonze (do filme Her, s2!!) divulgou uma espécie de vídeo surpresa da canção “Ooo” – faixa que integra o novo trabalho da vocalista do Yeah Yeah Yeahs. O clipe traz performance sensível da atriz Elle Fanning, que dialoga com a temática proposta por Karen em Crush Songs. Sem contar que a homenagem em si, feita por Jonze à amiga (que inclusive participa da trilha de Her), já mereceria menção neste blog.

Jack White e o vídeo incrível da também incrível “Would You Fight For My Love?”

O guitarrista Jack White divulgou na última sexta-feira (12) o vídeo da faixa “Would You Fight For My Love?”, canção que faz parte do álbum Lazaretto. A direção do vídeo é assinada por Robert Hales e exibe Jack com seu novo visual de corte de cabelo rockabilly em meio às imagens em tom azul – cor adotada pelo artista em sua fase solo. Lembro que na última semana eu conversava com um amigo sobre a habilidade de Jack com a guitarra, sem dúvida um dos grandes guitarristas de nosso tempo. A faixa “Would You Fight For My Love?” embasa essa tese.

Adriano Cintra e o pop dançante que a gente curte!

O competente Adriano Cintra volta ao cenário alternativo nacional com seu primeiro álbum solo, chamado Animal. O disco foi composto em inglês e ganhou versões de músicos brasileiros, como a genial Gaby Amarantos, que abrasileirou a canção “Duda”, primeiro single do disco. Nesta semana Adriano Cintra divulgou o vídeo da faixa-título do novo trabalho, escrita em parceria com Marcelo Segreto (Filarmônica de Pasárgada). O clipe traz uma ideia bem pop art, com colagens de imagens variadas que respiram também aspectos da cultura remix atual. Já a sonoridade é um delicioso pop-dançante, tão criativo quanto os trabalhos anteriores de Adriano nos tempos de Cansei de Ser Sexy, Butchers’ Orchestra e Madrid.

The Cure toca Beatles!

O disco The Art of McCartney é um tributo dedicado a Paul McCartney que irá reunir nomes como Bob Dylan, KISS, Perry Farrell, Smokey Robinson, Chrissie Hynde e Bjorn, entre outras feras. Na última semana, o eterno Robert Smith e seu The Cure gravaram um vídeo, via o britânico Guardian, que exibe uma linda versão para “Hello Goodbye” (Beatles), releitura que também irá integrar o álbum The Art of McCartney. O mesmo The Cure prometeu canções novas para 2014, quem sabe vem disco novo por aí… Se vier com turnê mundial, melhor ainda (hehe).

La Roux lança vídeo da faixa “Kiss and Not Tell”

A incrível La Roux divulgou recentemente seu segundo álbum, Trouble in Paradise, trabalho que foi muito elogiado pela crítica – inclusive aqui no blog. Na última semana, a cantora pop-indie-eletrônico lançou o vídeo da faixa “Kiss and Not Tell”, cujas imagens de temática retrô brincam com os comerciais sensuais dos hoje pré-históricos disk sexo.

Anúncios

Encontro entre Beatles e Bob Dylan completa 50 anos

Lennon (esquerda) conversa com Bob Dylan, durante o lendário encontro entro o cantor norte-americano e os Beatles, em 1964.

Foi num quarto do hotel Delmonico, localizado na Park Avenue, em Nova Iorque, onde os Beatles e o cantor Bob Dylan se encontraram pela primeira vez, há exatos 50 anos. À época, o grupo de Liverpool colhia os frutos da beatlemania impulsionada pelos primeiros álbuns do grupo, compostos basicamente por canções de rock que falavam de amor com guitarras à moda Chuck Berry – embora a fórmula de sucesso pareça superficial, amos essa fase deles.

Dizem que foi no encontro com Bob Dylan que os Beatles experimentaram maconha pela primeira vez, pelo menos, é o que relatam grande parte das biografias do grupo inglês. Deixando a erva de lado, o que importa é que o bate-papo com o cantor norte-americano mexeu com o som dos Beatles, não de imediato, e não só por conta dessa conversa, mas o amadurecimento do grupo a partir do disco Rubber Soul (1965) traz reflexos desse contato. Percebe-se, principalmente nas canções compostas por Lennon na segunda metade da década de 1960, uma abordagem bem mais engajada.

Claro que os Beatles sofreram outras influências, como a psicodelia na qual muitas bandas e artistas buscaram inspiração no final dos anos 60, período em que um tal Jimi Hendrix mergulhava em experimentos sonoros que esgotaram as possibilidades da guitarra elétrica.  O que o encontro histórico entre Beatles e Bob Dylan deixa como reflexão casos parecidos também estimularam mudanças na sonoridade artistas importantes.

Outros exemplos

Quando no final da década de 1970 o Clash vai aos Estados Unidos para divulgar o álbum London Calling (1979), o grupo entra em contato com o hip-hop (e outros ritmos), que emanava dos guetos, e esse contato (vídeo abaixo) determinou os rumos do próximo disco da banda de punk rock, o híbrido Sandinista! (1980). Outro exemplo é o encontro entre David Bowie e Iggy Pop. Bowie nunca escondeu que uma de suas fases mais criativas, na qual o músico se denominava Ziggy Stardust, foi inspirada no vocalista dos Stooges. O que dizer então da sonoridade mais sombria que o Arctic Monkeys adquiriu após o álbum Humbug (2009) ter sido produzido por Josh Homme (Queens of the Stone Age)? Não foi coincidência.

O que mais me fascina na música – e nas artes em geral – é a sua capacidade de ser um processo criativo coletivo, fruto de uma mescla de experiências capaz de gerar novas formas e possibilidades de criação.

 

Resumo musical

Filme sobre Nick Cave ganha novo trailer

O filme 20,000 Days On Earth, sobre soturno Nick Cave, ganhou novo trailer na última semana. O trabalho recebeu dois prêmios no festival Sundance Film, no início do ano, e chega aos cinemas no dia 19 de setembro – ainda não há confirmação, mas o longa deve ser exibido em algumas salas do circuito alternativo de Sampa, pelo menos, é o que a gente espera (hehe). O roteiro narra 24 horas ficcionais na vida do músico australiano e traz no elenco Ray Winstone, Kylie Minogue e o correligionário de Bad Seeds do Nick Cave, Warren Ellis. Clique aqui e confira.

 

Documentário sobre os Beatles saindo do forno

Semana de roqueiros no cinema. Um documentário autorizado pela Apple (gravadora) sobre os Beatles será dirigido por Ron Howard (que já faturou premios no Oscar por trabalhos como Frost/Nixon e A Beautiful Mind). O projeto conta com o apoio de Paul McCartney, Ringo Starr, Yoko Ono e Olivia Harrison e irá narrar a história dos quatro músicos de Liverpool, dos shows no inferninho Cavern Club à grande turnê que rendeu memoráveis apresentações no Candlestick Park, São Francisco, em agosto de 1966. Repare na qualidade das imagens do trailer, vem coisa boa por aí. Ah, esqueci de enfatizar: a performance de “I’m Down”, ao final do vídeo, é dos registros mais incríveis do grupo (na minha opinião!) – com direito a um Lennon endiabrado no teclado.

 

Nana Rizini lança vídeo de “Me Deixa Dançar”

A cantora Nana Rizini lançou neste ano o álbumLa Na Nana, projeto que contou com a contribuição da mente criativa do músico e produtor Adriano Cintra (Madrid e ex-CSS), entre outras participações. Na última semana, Nana lançou o vídeo do single  “Me Deixa Dançar” (que a gente já andou elogiando por aqui), com imagens que remetem aos anos 80, assim como a sonoridade pop-new wave da canção. O clipe pode ser conferido na plataforma VEVO.

 

 

Patti presta homenagem a Nico

A lenda punk-literária Patti Smith une forças com o grupo artístico Soundwalk Collective para prestar homenagem justíssima à cantora Nico, que integrou o Velvet Underground no lendário álbum homônimo do grupo, lançado em 1967. A performance consiste na declamação do poema Killer Road, acompanhado por arranjos instrumentais, inspirado no dia em que Nico faleceu após um acidente de bicicleta, em Ibiza, ocorrido em 1988 – cuja peça musical inclui um trecho assinado pela própria Nico. Repare na força poética dos versos declamados por Patti. O projeto pode ser conferido no site da revista Uncut.

 

 

Johnny Depp e Aerosmith

O roqueiro-ator Johnny Depp protagonizou outra aparição ao lado de uma banda de rock. Após tocar, nos últimos anos, com artistas como Marilyn Manson, Black Keys e Oasis (entre outros), Johnny Depp dividiu o palco com o Aerosmith, durante uma apresentação ocorrida nesta semana, para com a banda a faixa “Train Kept A-Rollin”. Claro que alguém que estava assistindo ao show gravou e compartilhou a pérola no Youtube. Cá entre nós, ele mandou super bem em meio aos experientes roqueiros do Aerosmith.

Resumo musical

Arctic Monkeys celebram os Beatles

Ah, como é bom celebrar os Beatles, não é mesmo? Durante um show no Madison Square Garden, no ultimo final de semana, o incrível Arctic Monkeys prestou homenagem ao 50º aniversário da primeira aparição dos fab four nos Estados Unidos. A canção escolhida foi “All My Loving” e ficou à altura da grandeza do lendário grupo britânico. Valeu, Alex.

 

Lorde versão Kingston

A cantora Lorde, que vem ao nosso Lollapalooza neste ano, ganhou fama após o vídeo da canção “Royals” bombar na web. Nesta semana, o hit que lançou a moça ganhou uma versão dub – ritmo enfumaçado que ecoa da Jamaica de Lee Perry –, elaborada pelo produtor Busy Signal. Como um bom fã de dub, achei demais. E você?

 

Karen no Oscar. E em outros “projetinhos” aí…

A trilha sonora do filme Her, do Spike Jonze, trabalho no qual o personagem vivido por Joaquim Phoenix se apaixona pela voz de uma secretária eletrônica – cuja dona é a Scarlett Johansson – foi indicada ao Oscar deste ano. A faixa “The Moon Song” concorre ao prêmio de Melhor Canção Original, e, detalhe, quem canta é a incrível Karen O. A gente já andou comentando por aqui. A novidade é que nesta semana foi divulgada uma nova versão da música, com participação de Ezra Koenig, do Vampire Weekend (show!). Ainda sobre a vocalista do Yeah Yeah Yeahs, ela está entre os convidados que participam do novo álbum do Walter Martin – na  faixa “Sing to Me” ao lado do coleta de  banda Nick Zinner e do Matt Berninger (National). Uma verdadeira overdose de Karen (hehe).

 

Julian divulga faixa inédita

O filme indie She’s Lost Control – seria uma menção ao Joy Division? – será lançado oficialmente em março, durante o festival SXSW, em Austin. A primeira canção da trilha sonora confirmada é “Human Sadness”, do stroke Julian Casablancas. O Cultura no Prato gosta do Julian, mas convenhamos, ele já gravou canções melhores. Sério. O músico é uma das atrações do Lollapalooza 2014 e essa “Human Sadness”, bem como outras inéditas, deve integrar o repertório.

 

Veja o teaser do domumentário “Dominguinhos+”, que estreia neste mês

O teaser oficial do webdocumentário Dominguinhos+ foi divulgado nesta quinta-feira (13). A estreia está prevista para 26 de fevereiro. Serão oito episódios que irão narrar a carreira do músico pernambucano, além de mostrar as últimas imagens do lendário artista em estúdio. Fique atendo às participações especiais de Gilberto Gil e Elba Ramalho, entre outros nomes.

Resumo musical da semana

Macca, Dave, Krist e Pat

Bomba da semana! Paul McCartney lidera volta do Nirvana. Este seria o título ideal se o autor deste texto fosse sensacionalista o bastante (haha). O fato é que nesta semana o Madison Square Garden ficou pequeno. O show que teve como objetivo levantar recursos para as vítimas do furacão Sandy foi marcado pela ‘jam’ entre os ex-membros do Nirvana Kirst Novoselic, Dave Grohl e Pat Smear e o ex-beatle Paul McCartney – só isso, coisa singela, vai. O ‘dream team’ mandou a inédita e legal “Cut Me Some Slack”, que mescla “Helter Skelter” com punk rock à moda Nirvana. Acho que não preciso nem dizer que o vídeo foi manchete nos principais veículos de comunicação do planeta e hit do dia nas redes sociais. Cool.

 

O vídeo natalino dos Killers

Os caras do Killers já entraram no clima do Natal. O grupo aproveitou uma folguinha na turnê que passou recentemente pelo Reino Unido para gravar o single “I Feel It in My Bones”, com participação especial de músico e DJ Ryan Pardey e um Papai Noel malucão nas imagens do clipe. Ah, por falar no grupo liderado pelo Brandon Flowers, o Killers divulgou nesta semana o vídeo da canção “Miss Atomic Bomb”, música que integra o último álbum do grupo, Battle Born. O vídeo é bem interessante, com momentos de animação (com cara de desenho da Disney) e filme. Destaque para a fotografia.

 

Gavin and Gwen

O amor é uma coisa cafona, mas também bela. O casal ‘rock anos 90’, Gwen Stefani (No Doubt) e Gavin Rossdale (Bush), dividiram o palco durante o evento Almost Acoustic Christmas, de clima natalino, realizado no último dia 12. Ao tocar os primeiros versos da canção “Glycerine” somente com o acompanhamento de sua guitarra, Rossdale recebeu a esposa e, juntos, a dupla mostrou que também é afinada no palco. O público, claro, foi ao delírio com o momento ‘so sweet’. 

 

Cindy Lauper e as meninas

As garotas querem se divertir. E também cantar juntas. No último sábado (8), a cantora pop-anos-80 Cindy Lauper recebeu duas convidadas mais que especiais: Alexis Krauss, integrante do duo Sleigh Bells, e a cantora St Vincent. As convidadas dividiram o palco com Lauper durante o clássico “Girls Just Want To Have Fun”. O show ocorrido em Nova Iorque traz o nome “Cyndi Lauper e Amigos: Home for the Holidays”, apresentação na qual a cantora recebe diversos convidados. Sabe como é, período de final de ano, muitas festas e encontros com amigos.

 

Daft Punk e Decemberists chegam a Springfield

Os Simpsons já fazem parte da cultura pop. Ponto. Um dos desenhos mais ‘cool’ de todos os tempos recebeu o eletrônico e sumido Daft Punk (vídeo abaixo), no último domingo (9), ou um fanfarrão simplesmente vestido de Daft Punk, não importa, o que interessa é que a menção ao projeto musical de fato aconteceu. Ah, as aparições de famosos no seriado não param por aí, o grupo Decemberists também marcou presença. Adivinha só que vai dar aulas de música às crianças de Springfield?

Livro da semana

O amargo fim dos Beatles

POST DE QUARTA 

A relação entre os integrantes de uma banda de rock – ou de qualquer gênero musical – é semelhante a um casamento. Existem relacionamentos eternos e duradouros, mas também há casos nos quais a separação é inevitável e cheia de amargura. Inúmeros casos exemplificam tal afirmação: Pink Floyd, Clash e os brasileiros do Ira!, sem contar uma porção de outros grupos que se desmembraram por conta de brigas internas e divergências de ideias.

Nem mesmo os Beatles, ícones da cultura pop – e talvez uma das bandas mais importantes da história –, deixaram de passar por essa situação. No final dos anos 70, a relação entre Paul McCartney e John Lennon estava bastante desgastada, fator que tornou crucial o fim do lendário grupo. Baseado neste contexto, o jornalista britânico Peter Doggett, colaborador de periódicos como Mojo e Q Magazine, escreveu o livro A Batalha pela Alma dos Beatles, recém-lançado no Brasil pela editora Nossa Cultura.

Para traçar o estudo, Doggett utilizou todo o seu conhecimento sobre a banda britânica, marcado por três décadas nas quais esteve literalmente ‘na cola’ do grupo de Liverpool. Segundo o próprio autor, “as vozes de todos os quatro Beatles estão fortemente representadas neste livro: sua narrativa é, em parte, uma crônica de como eles reagiram pública e privadamente aos eventos que temperaram suas vidas”, explica.

Se por um lado o sucesso de uma banda depende da química entre seus integrantes, o fim pode representar a exposição de certas divergências, no caso dos Beatles, este fato ocorreu após um rico legado deixado pela banda. Contudo, ler Batalha pela Alma dos Beatles pode ser um interessante mergulho em informações preciosas sobre a trajetória deste fantástico grupo, que marcou para sempre a história da música.            

 

Serviço:

Batalha pela Alma dos Beatles

Autor: Peter Doggett.

Editora: Nossa Cultura.

Páginas: 512.

Preço: R$ 69.

Resumo musical da semana

Karen O na trilha sonora do próximo filme de Tim Burton

O incrível grupo Yeah Yeah Yeahs anda sumido. Mas, nem por isso a vocalista Karen O deixou de trabalhar. Após estar envolvida em projetos paralelos, Karen gravou a canção “Strange Love”, que irá integrar a trilha sonora do próximo filme do sombrio e genial Tim Burton, chamado Frankenweenie. A faixa possui uma atmosfera alegre, quase tropical e, claro, conta com a belíssima voz de Karen. O filme e a trilha sonora serão lançados em 25 de setembro. No site da NME é possível conferir todas as faixas que irão compor o álbum. A seguir você ouve um trecho da canção. Quer uma dica? Clique aqui e ouça na íntegra.    

 

Planeta Terra fecha line-up e resgata o ícone Suede

Como se não bastasse trazer o Garbage pela primeira vez ao Brasil, a organização do festival indie Planeta Terra, que neste ano vai ocorrer no Jockey Club, divulgou o line-up definitivo do evento. O principal destaque? O grupo inglês Suede. Além disso, foram anunciados Kasabian,, The Drums, Little Boots e as brasileiras Mallu Magalhães, Banda Uó e Madrid. Conhecido por ser o ‘lado alternativo’ do britpop, enquanto Oasis e Bluir disputavam o primeiro lugar das paradas de sucesso, o Suede lançou ótimos discos, como Suede (1993) e Dog Man Star (1994), e exibia influências de David Bowie e T-Rex. Guarde esse nome.

 

O primeiro vídeo da trilogia do Green Day

A aguardada trilogia que irá celebrar os 25 de carreira do Green Day, ¡Uno!, Dos! e ¡Tré!, teve o vídeo do primeiro single, “Oh Love”, divulgado nesta semana. A canção traz melodias fortes, presentes em outros trabalhos do grupo. O disco ¡Uno! chega às lojas em 25 de setembro e os outros dois discos estão previstos para 13 de novembro e 15 de janeiro.

 

Enquanto isso, o Zeca zoa o funk

A turnê bem-sucedida do álbum O Disco do Ano, lançado por Zeca Baleiro neste ano, agora tem uma surpresa: o músico gravou uma faixa nova, chamada “Funk da Lama”, que irá encerrar os shows de sua atual turnê. Na letra, Zeca segue o clima descontraído do disco e zoa o funk, artistas pop-enjoativos e políticos caricatos. Rá!

 

 Lana, Lana…

Ela continua cruel, muito cruel. No bom sentido, claro. A musa pop-indie (se é que é possível ter esse rótulo) Lana Del Rey deu o que falar nesta semana, após o ‘vazamento’ da inédita “Big Bad Wolf”, no Youtube. A faixa, que talvez integre a edição especial do elogiado e odiado Born To Die (disco de estreia da moça), traz uma letra BEM provocante. Ao som de um pop básico, Lana canta “Big bad wolf come on and eat me up…”, uau!

 

A reestreia de Magical Mystery Tour

O filme estrelado pelos Beatles, “Magical Mystery Tour” (vídeo abaixo), lançado junto com o clássico Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967) será relançado em 27 de setembro. A edição comemorativa terá exibições no cinema e chega às lojas em uma edição deluxe. O Box terá DVD e Blu-ray do filme, um livreto de 60 páginas e sete EPs em vinil, que irão conter seis músicas novas, originalmente lançadas no Reino Unido para acompanhar o filme de 1967. Simplesmente incrível, fala sério.