Especial “O Mágico de Oz + Pink Floyd Cover” volta ao MIS

 

Sucesso de público em Sampa, a projeção do clássico O Mágico de Oz, sonorizada simultaneamente pela banda Pink Floyd Cover SP, volta ao Museu da Imagem e do Som (MIS), no próximo domingo (8).

A dobradinha que já levou uma boa galera ao MIS é inspirada na lenda roqueira que diz que o álbum Dark Side of The Moon possui sincronia com as cenas de O Mágico de Oz, Ficou curioso em saber se é verdade? Aproveite o passeio.

Serviço:

“O Mágico de Oz + Pink Floyd Cover”

Local: Museu da Imagem e do Som (MIS)

Domingo, 8 de dezembro, a partir das 11h.

Ingressos:

O público poderá adquirir os ingressos a partir desta terça-feira (3), no site Ingresso Rápido ou na bilheteria do MIS. O valor da entrada é de R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).

“Kubrick”: um mergulho na obra do mestre

 

Aos subir os degraus do Museu da Imagem e do Som (MIS) que dão acesso à exposição Kubrick, mostra que reúne peças originais dos filmes, fotos, anotações e vídeos, que narram a filmografia do diretor norte-americano, a sensação é de total arrebatamento. Como se fosse possível, por meio de diferentes sentidos, entrar momentaneamente nas obras do cineasta.

Cada uma das salas da exposição traz a temática de um dos filmes de Kubrick. Mas antes de adentrar os espaços, o visitante passa por pequenas cabines que exibem os cartazes originais das obras, fato que remete à decoração de um cinema. É como um aviso: a partir de agora você pisa no set de filmagem de Lolita, de O Grande Golpe ou O Iluminado.

Além das peças originais, a trilha sonora das obras pode ser ouvida em cada sala, outro tempero que intensifica a sensação de “estar dentro do filme”, ou ainda, de mergulhar na mente de Stanley Kubrick e observar de perto toda a sua genialidade.

Para compartilhar um pouco as sensações pelas quais passei em Kubrick, posto aqui algumas imagens que dizem mais (ou melhor, muito mais) do que minhas singelas palavras. Não deixe de conferir a exposição.

MIS recebe mostra sobre Federico Fellini

 

O Museu da Imagem e do Som (MIS) recebe, a partir desta terça-feira (1), a mostra 20 anos sem Fellini. A programação irá reunir desde clássicos assinados pelo famoso diretor italiano, como 8 ½ (1963) – vídeo acima –, até filmes raros como Abismo de um Sonho (1952), um dos primeiros trabalhos do cineasta. O evento é idealizado pelo MIS, em parceria com o Istituto Italiano di Cultura.

Entre os destaques da mostra, o público poderá conferir raridades e projeções em cópias 35mm de obras-primas como A Doce Vida (1960), A Voz da lua (1990), Ensaio de Orquestra (1978) e Noites de Cabíria (1957). Imperdível.

Serviço:

20 Anos Sem Fellini

De 1 a 8 de outubro.

Local: Auditório MIS (172 lugares).

Ingresso: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). À venda na recepção MIS (terças a sextas, das 12h às 21h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h30) ou pelo site: www.ingressorapido.com.br.

MIS exibe filmes de Larry Clark e Martin Scorsese

 

Duas mostras proporcionam ao público a oportunidade de entrar em contato com obras obrigatórias para os amantes do cinema. Durante o mês de agosto, o Museu da Imagem e do Som (MIS) recebe a 17ª edição do Festival de Cinema Judaico e também a Retrospectiva Larry Clark.

O Festival de Cinema Judaico traz em sua programação o especial Cine Biografias, composto por obras que narram a vida de ícones da cultura pop como Lou Reed, Mel Brooks e Bob Dylan, este último com a assinatura do diretor Martin Scorsese. O evento ainda terá filmes elaborados em países como Alemanha, Argentina, França e República Tcheca, todos sob a temática judaica.

Já a Retrospectiva Larry Clark reúne a trajetória cinematográfica do fotógrafo e cineasta norte-americano Larry Clark. Entre os filmes que compõem a mostra, destaque para a parceria de Clark com o diretor Gus Van Sant, Kids (1994), e os elogiados Bully (2001) e Ken Park (2002).

A programação ainda terá a exposição fotográfica Ralph Gibson & Larry Clark – Amizade, fotos e filmes, que celebra a parceria profissional dos artistas. De cinebiografias a produções polêmicas, opções boas não faltam na programação que o MIS oferece neste mês. Vale a pena conferir.

 

Serviço

17º Festival de Cinema Judaico de São Paulo

De 10 a 11 de agosto.  

Auditórios LABMIS (64 lugares).

Classificação: Livre.

Ingresso: gratuito (sujeito à lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência na recepção do MIS).

 

Retrospectiva Larry Clark

De 09 a 17 de agosto (exceto dias 12 e 16).

Auditório MIS (172 lugares).

Ingressos: R$ 6 (inteira) R$ 3 (meia). À venda na Recepção MIS (terças a sextas, das 12h às 21h30; aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h30) e no site www.ingressorapido.com.br.

Classificação: 18 anos (acesso permitido a menores de idade acompanhados dos pais ou responsáveis legais).

 

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 – www.mis-sp.org.br.

 

Jukebox de cinema do MIS recebe novos filmes

A jukebox de cinema do MIS, o projeto começou em 2012 (Foto: Divulgação).
A jukebox de cinema do MIS, o projeto começou em 2012 (Foto: Divulgação).

Uma das atrações do Museu da Imagem e do Som (MIS), o projeto Caixa de Cinema – jukebox de cinema, na qual o visitante escolhe uma cena de filme a assiste dentro de uma cabine para até duas pessoas – ampliou seu catálogo para 120 títulos. O espaço foi criado em maio de 2012 e já recebeu mais de 25 mil visualizações.

A nova programação estreia no próximo dia 30 de maio, com curadoria de André Sturm e Alessandra Dorgan. Entre os filmes novos no acervo estão O Mágico de Oz, (1939), A Bela da Tarde (1967), de Luis Buñuel, o inédito no Brasil A Ciência dos Sonhos (2006), dirigido por Michel Gondry, e Labirinto, estrelado por David Bowie.

Para escolher a cena, o espectador pode optar por título, ator, diretor, país ou gênero. A Caixa de Cinema está localizada no hall de entrada do MIS  e as novidades do espaço agora podem ser acompanhadas no Facebook (www.facebook.com/caixadecinema) e no Instagram (#caixadecinema).

 

Serviço:

Caixa de Cinema (estreia da nova programação)

Dia 30 de maio.

Local: Hall de entrada do Museu da Imagem e do Som (MIS) – térreo.

Ingresso: grátis.

Museu da Imagem e do Som, Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo.

Contatos: (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br.

A sincronia entre “The Dark Side of The Moon” e “O Mágico de Oz”

A capa do disco "The Dark Side of The Moon", lançado pelo Pinky Floyd em 1973.
A capa do disco “The Dark Side of The Moon”, lançado pelo Pink Floyd em 1973.

 

O rock tem suas histórias e lendas. Entre elas, figura uma cercada de mistério, a que diz que o álbum do Pink Floyd, The Dark Side of The Moon (1973), tem o mesmo tempo de duração do clássico hollywoodiano O mágico de Oz (The Wizard of Oz, 1939), de Victor Fleming. Neste caso, não há lenda, a história é verdadeira.   

Para celebrar os 40 anos do disco, o Museu da Imagem e do Som (MIS) exibe O Mágico de Oz, no próximo dia 7 de abril, ao som da banda Pink Floyd Cover, que irá interpretar o repertório de The Dark Side of The Moon. O evento faz parte das sessões Cinematographo.

Em 2012, o MIS organizou duas sessões como esta, ambas lotadas, nas quais o filme foi sincronizado ao disco do Pink Floyd. Agora, quem perdeu a oportunidade tem uma nova chance de conferir de perto, de uma só vez, clássicos da música e do cinema.

 

Serviço:

Cinematographo Especial – Pink Floyd Cover

Dia: 07 de abril, às 16h no Auditório MIS.

Entrada: R$ 6 (inteira), R$ 3 (meia).

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo.

Informações: (11) 2117 4777 ou www.mis-sp.org.br.

MIS recebe primeiro “Ciclo de Cinema e Política”

Ben Affleck e Russell Crowe, em cena do longa “Intrigas de Estado”, que integra o ciclo de filmes (Foto: Divulgação).
Ben Affleck e Russell Crowe, em cena do longa “Intrigas de Estado”, que integra o ciclo de filmes (Foto: Divulgação).

 

O mundo recebeu a notícia sobre a morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, nesta terça-feira (5). O acontecimento inevitavelmente vai gerar discussões sobre política, considerando os prováveis impactos geopolíticos no território latino-americano. Abordagens de viés político sempre inspiraram a arte, principalmente o cinema, e é exatamente essa temática que será tratada no 1° Ciclo de Cinema e Política – razões de Estado e qualidade da democracia, que chega ao Museu da Imagem e do Som hoje.

O evento é organizado pelo Núcleo de Pesquisa em Políticas Públicas (NUPPS) e pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP. A coordenação fica por conta do cientista político José Álvaro Moisés e a curadoria é do crítico Luciano Ramos. A ideia do ciclo é promover discussões sobre temas políticos atuais e como o cinema tem sido influenciado por tais acontecimentos.

Após as exibições o público irá participar de debates, ministrados por pesquisadores e jornalistas especializados em política. A programação irá contar com filmes como Intrigas de Estado (State of Play, 2009) e Tudo pelo poder (The Ides of March, 2011, vídeo abaixo), que traz no elenco George Clooney e Ryan Gosling. Uma boa oportunidade para assistir a bons filmes e ainda participar de discussões sobre temas relevantes.

 

Serviço:

1° Ciclo de Cinema e Política

De 5 de março a 9 de abril.

Ingresso: gratuito.

Das 19h às 22h.

Auditório do Museu da Imagem e do Som – (MIS), Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo

Informações: (11) 2117 4777 ou www.mis-sp.org.br.