Smiths no Twitter: entre estratégias de majors e novas configurações

post

O grupo The Smiths encerrou oficialmente suas atividades em 1987, período em que artistas dependiam das grandes gravadoras para ter razoável circulação no cenário musical. Mas os tempos mudaram, hoje existem meios alternativos de criação e divulgação, em especial no ambiente da web. Entretanto, a curiosa conta do grupo criada no Twitter nesta semana, pela gravadora Warner, levanta algumas questões interessantes sobre majors, comunicação e consumo.

Mesmo com o Smiths aposentado, a Warner decidiu criar uma conta para o grupo inglês no Twitter, ou seja, diferente da administração voluntária de um fã da banda, que é prática bastante comum, o fato de haver uma major (grande gravadora) por trás de tal projeto gera algumas hipóteses a serem discutidas.

Com a rede social, a gravadora consegue lançar materiais inéditos e sobras de sessões de estúdio, que ainda permanecem adormecidas no anonimato. Outra possibilidade é potencializar o lançamento de tais produtos na euforia de boatos sobre um possível retorno de Morrissey, Johnny Marr e companhia – o que é improvável, mas capaz de estimular o consumo.

A recente instabilidade das majors, em razão da diversidade de opções e acessos a produções musicais, obriga a indústria fonográfica a se reconfigurar. Embora fique evidente que novidades sobre o grupo serão divulgadas em breve, nota-se a tentativa da Warner de manter sua influência sobre o que será consumido. Isso não significa que a empresa terá sucesso, tampouco é possível decretar o fim das grandes gravadoras.

Esses movimentos de adaptação talvez representem um terceiro estágio, em que configurações de majors e meios alternativos se mesclam para resultar em um “outro” modo de produção e divulgação – e a partir dessa ideia podem surgir outros e assim por diante.

Anúncios

Morrissey está certo

Escalado para tocar no Iceland Airwaves Music Festival, que ocorre na Islândia, o cantor Morrissey anunciou nesta semana que não irá mais se apresentar no evento, pois a organização não concordou em deixar de vender itens derivados de carne, no dia do show de Moz – mudança exigida pelo músico britânico. E ele está certo.

Diferente das exigências ligadas ao ego inflado de muitos artistas, que geralmente fazem listas de “mimos” para  incluindo bebidas raras, decoração glamourosa e buquês compostos por flores exóticas. Não, não é nada disso. A desistência (leia o comunicado) de Morrissey faz menção à sua postura ideológica em relação ao consumo de carne, bem como à militância do cantor em prol dos animais.

Eis que “mimimis” ecoaram nas redes sociais, engessados e de conteúdo raso, como sempre. Responder às críticas conservadoras é simples: é muito cômodo apontar o dedo e fazer troça do engajamento de alguém quando se oberva o mundo a partir da própria bolha – na maioria das vezes, restrita aos muros do condomínio. E esse “cidadão” (alienado), acredite, é o mesmo que grita palavras de ordem contra movimentos sociais, coletivos feministas e qualquer tipo de movimentação disposta a questionar.

Aliás, a configuração do perfil alienado, bastante comum em tempos de Facebook e Twitter, ocorre a partir dos moldes impostos pelas microinstituições de poder – usando um termo foucaultiano – somados às padronizações impostas pelas indústrias cultural e midiática, formadoras de seres ajustados e produtores, no lugar de pessoas pensantes. Por esses e outros motivos (e a discussão é complexa demais para um simples post), atitudes como a do Morrissey incomodam tanto.

Moz possui seis shows agendados no Reino Unido no próximo mês, a começar pela apresentação prevista para ocorrer no Capital FM Arena Nottingham, em 13 de março. A seguir, uma canção que dialoga com a atitude do cantor.

Resumo musical

Titãs voltam mais pesados

Eu vivo dizendo por aqui que o nosso rock mainstream precisa se renovar – até porque alguns roqueiros ultimamente têm adotado uma postura mais conservadora, inclusive em posicionamentos políticos, o que é uma pena. Ao lançar o álbumNheengatu, à primeira vista, os Titãs parecem trazer novos ares ao rock nacional. Um exemplo é a nervosa faixa “Fardado”, primeiro single do disco, que dialoga com o clássico “Polícia” (da fase Cabeça de Dinossauro). Mandaram bem.

 

Outra faixa inédita do Moz

O gênio Morrissey lança no próximo dia 14 de julho o álbumWorld Peace Is None of Your Business (adoro esse nome). Nesta semana, durante uma apresentação no Opera House, em Boston, o cantor apresentou ao público a faixa “Kick The Bride Down The Aisle”, que vai integrar seu novo trabalho. Quero ver o Moz no Brasil neste ano, e você? Hehe.

 

La Roux divulga “Tropical Chancer”

Outra faixa inédita que circulou na web nesta semana é”Tropical Chancer”, da cantora La Roux. A canção integra o novo álbum da artista, Trouble in Paradise, cujas faixas “Let Me Down Gently” e “Uptight Downtown” já haviam sido divulgadas nas últimas semanas. Achei que essa “Tropical Chancer” mantém o bom nível dos singles anteriores.

 

Arcade Fire toca Smiths e Echo & The Bunnymen

Já faz mais de uma semana, mas eu não poderia deixar de comentar o giro que o Arcade Fire deu no Reino Unido em sua recente turnê. Em uma espécie de homenagem ao rock britânico, o grupo tocou clássicos como“London”, da lendária banda Smiths, e “The Cutter”, do Echo & The Bunnymen, com direito a participação especial de Ian McCulloch. Acho que não preciso dizer mais nada, né?

 

O retorno do Strokes

Os Strokes já foram chamados de “salvação do rock”, lançaram discos regulares, mas desde o álbumIs This It entraram definitivamente no cenário musical contemporâneo. Já vi dois shows deles aqui no Brasil, gostei de ambos, embora ache que a banda tenha lançado discos bem irregulares depois de sua ótima estreia em 2001. A volta aos palcos, após um período de férias, ocorreu no festival Governors Ball, na última semana, em Nova Iorque. Li críticas dizendo que eles não estavam muito inspirados, mas gostei dos vídeos que assisti. Ainda não se sabe sobre um eventual próximo disco de estúdio do grupo (após o renegado Comedown Machine, que eu gosto), mas acho legal que o grupo continue no cenário musical. Sinceramente.

Resumo musical

Morrissey na onda dos teasers

O grande Morrissey lançou nesta semana o single “Istanbul”, que integra seu próximo álbum, World Peace Is None Of Your Business, nome que dialoga com a personalidade forte do músico – e que a gente adora.  Junto com o vídeo, saiu também outro teaser promocional, vertendo poesia também, no qual Moz recita alguns versos da faixa (gênio!). A seguir você ouve a bela faixa-título do disco.

 

Coletivo de rap Jurassic 5 retorna, com direito a sample do White Stripes

O coletivo Jurassic 5, dinossauros do rap que estavam sumidos da cena musical desde 2005, divulgaram uma faixa inédita nesta semana, chamada “The Way We Do It”. O anúncio marca também o retorno do grupo, que irá fazer alguns shows, entretanto, ainda não há confirmação de um eventual álbum de inéditas. Repare que essa “The Way We Do It” traz um delicioso sample de “My Doorbell”, do extinto White Stripes. E aí Jack, curtiu?

 

Semana Lykke Li

A cantora sueca Lykke Li, cuja canção “I Follow Rivers”, remixada por um tal The Magician, simplesmente estourou após integrar a trilha sonora do belíssimo filme Azul É a Cor Mais Quente (Blue Is the Warmest Color), lançou recentemente seu terceiro álbum,I Never Learn. Em turnê de divulgação nos Estados Unidos, a moça passou pelo programa do apresentador Jimmy Kimmel, e cantou algumas faixas do novo trabalho, entre elas, a interessante “No Rest For the Wicked”. Ah, outra faixa legal, “No One Ever Loved”, também foi destaque nesta semana no site da NME.

 

O novo álbum do The Roots, o pessoal da Pitchfork curtiu

O The Roots lançou o álbum …And Then You Shoot Your Cousin nesta semana, disco que mostra uma levada mais conceitual – não tão vanguardista, mas bem interessante. O álbum acabou vazando no Youtube, conforme o vídeo abaixo indica. Entrei no site da Pitchfork hoje e me deparei com boa nota “7,2” que o novo trabalho do The Roots levou. Ouça e veja se você concorda.

 

La Roux divulga vídeo de “Let Me Down Gently”

Somente após os burburinhos em volta do lançamento do segundo álbum da cantora La Roux, chamadoTrouble in Paradise, previsto para 7 de junho, foi que entrei em contato com o trabalho da cantora. Se você gosta de um pop-indie-electro com e belas construções vocais, vai curtir o trabalho da artista – da mesma maneira que eu também gostei. Nesta semana ela divulgou o vídeo da faixa “Let Me Down Gently”, primeiro single do disco que chega ao mercado em breve. Confira aí.

Resumo musical

Mia desconstrói canção Beyoncé em remix

Uma das grandes sacadas das remixagens é o poder que este recurso possui em desconstruir e reeditar, com uma nova roupagem sonora, uma canção. A ótima M.I.A levou esse conceito ao patamar do acerto ao elaborar uma grande versão remix para  “Flawless”, da cantora Beyoncé. A valorização das batidas deu peso à música, que foi rebatizada de “Baddygirl 2″, com direito a alteração em partes-chave da letra, como no verso acrescentado: “men and women are 50/50″. Genial. O remix elaborado pela M.I.A está disponível para audição na plataforma Soundcloud.

 

Blondie completa 40 anos de carreira

Completar 40 anos não é para qualquer banda. Lançar discos como Blondie (1976), Plastic Letters (1977) e Parallel Lines (1978) também não. Por estes e outros motivos é que a banda norte-americana Blondie precisa ser celebrada. Nos últimos dias, a lendária banda tem feito diversas apresentações para comemorar o tempo de estrada e também para promover o lançamento do box Blondie 4(0) Ever, material que reúne a coletânea Hits: Deluxe Redux e o álbum de inéditas Ghosts of Download (clique aqui e ouça!). Nesta semana o Blondie foi ao programa The Daily Show e, entre as canções tocadas, mandaram a inédita “Sugar on the Side” – que na versão de estúdio conta com a participação de Beth Ditto. Parabéns ao Blondie!

 

Chvrches libera show realizado em Londres na web

A banda Chvrches tem sido destacada neste blog, principalmente após o lançamento do álbum de estreia do trio electro-indie, The Bones of What You Believe. O disco recentemente ganhou uma nova versão, com algumas remixagens, entre elas das canções “Gun”, “The Mother We Share” e “Recover”. Nesta semana o grupo formado por Iain Cook, Martin Doherty e Lauren Mayberry divulgou na web o show na íntegra, realizado pela banda em Londres, no mês de março. Clique aqui e assista à apresentação. Sinceramente, acho que já demorou para algum festival trazê-los ao Brasil.

 

Em vídeo, Morrissey pomove novo álbum de maneira poética

Após divulgar a arte da capa de seu próximo álbum World Peace Is None of Your Business (what a name, Moz!), uma das mais legais dos últimos anos, devo admitir, o incrível Morrissey divulgou nesta semana um vídeo no qual promove o lançamento de seu novo disco. Nas imagens, Moz faz uma leitura poética da letra de uma das faixas, ao piano, e em seguida recebe das mãos de Nancy Sinatra a suposta carta com a letra da canção. É o Morrissey flertando com a poesia.

 

Bob Dylan divulga nova canção

O lendário Bob Dylan divulgou nesta semana, por meio de sua página na web, uma versão para a canção “Full Moon And Empty Arms”, de Buddy Kaye e Ted Mossman, mas que ficou famosa na voz de Frank Sinatra. Nesta leitura, Dylan propõe uma sonoridade mais calma, que dialoga com o grande Sinatra, um pouco diferente de seus trabalhos mais focados no folk e no blues-rock, com os quais estamos acostumados. Concomitante à divulgação da faixa, o cantor também anunciou que lançará um álbum neste ano.

Resumo musical

Arctic Monkeys toca Tame Impala

O grupo Arctic Monkeys, maior banda do planeta hoje, resolveu fazer uma releitura da canção “Feels Like We Only Go Backwards”, do contemporâneo e psicodélico Tame Impala, durante uma visita ao programa Like a Version. Como em outras ocasiões, os representantes do grupo foram o vocalista Alex Turner e o baterista Matt Helders, e acho que não preciso dizer que a versão ficou ótima (haha). Dizem por aí (eu disse, dizem!), que a banda deve vir ao Brasil no final deste ano para apresentações, fora de grandes festivais, como superbanda mesmo.

 

O retorno triunfal do gênio Morrissey

A saúde do grande Morrissey parece estar melhor. De volta aos palcos, o ex-líder do grupo britânico Smiths atualmente está trabalhando no lançamento de um mais álbum de inéditas, que terá 20 faixas, um bom motivo para os fãs festejarem. O trabalho irá se chamar World Peace Is None of Your Business, e deve chegar às lojas em julho. Nesta semana, Moz se apresentou na Califórnia e mostrou ao público algumas canções novas, como “The Bullfighter Dies”, a faixa que deverá dar nome ao álbum e “Earth Is the Loneliest Planet”, que você confere a seguir. O músico segue em turnê pelos Estados Unidos e a gente torcendo para ele vir ao Brasil (hehe).

 

Semana Black Keys!

O Black Keys voltou a bombar nos sites dos principais veículos especializados em música nesta semana. Após anunciar o álbum Turn Blue, que será lançando na próxima semana, a dupla divulgou o vídeo do primeiro single do disco, “Fever”. Dei uma pesquisada rápida hoje na web e descobri que o novo álbum pode ser ouvido – pelo menos até agora, hehe – no Youtube. O som está mais cadenciado, mas continua bem bom.

 

O novo vídeo de dez minutos das Savages

O grupo Savages divulgou nesta semana o vídeo, de dez minutos, da canção “Fuckers”, faixa que integra o EP que foi lançado no último dia 5 de maio, acompanhada pelo cover do Suicide “Dream Baby Dream”. Durante a passagem do grupo pelo Lollapalooza Brasil, em abril, a banda tocou essa canção. Devo admitir que certamente foi um dos grandes momentos do evento. A atmosfera do clipe remete aos bons tempos do punk rock britânico, no longínquo ano de 1977.

 

Courtney divulga vídeo novo e confirma shows na Inglaterra 

Sempre polêmica, a roqueira Courtney Love pretende voltar a fazer barulho no cenário musical com o lançamento do single-dobradinha “Wedding Day”/”You Know My Name”, lançado no último dia 4 de maio. Nesta semana, a cantora divulgou o vídeo da faixa “You Know My Name”, e também confirmou dois shows no Reino Unido. Apesar de não ser oficial, a chegado do single ao mercado pode “puxar” o lançamento de um álbum de inéditas, vamos aguardar.

Resumo musical

Moz vai regravar Lou

A música contemporânea não teria nome mais adequado para prestar uma homenagem justa (e, à altura) ao ícone Lou Reed que o Morrissey. Que o grande Moz é fã assumido do legado deixado por Lou, não há dúvida – o Velvet Underground bateu forte nos ouvidos do músico antes mesmo dos tempos de Smiths.  Um versão para “Satellite of Love”, gravada por Morrissey em 2011, durante um show em Las Vegas, será lançada como single no próximo dia 2 de dezembro. A canção vai integrar uma versão em vídeo da autobiografia do Moz, que tem sido um grande sucesso no mercado editorial. O vídeo você confere a seguir. E quer saber? A versão ficou incrível.

 

Lorde visita o Letterman. Lorde faz cover de Tears For Fears!

A menina vale outro: com apenas 17 aninhos, a cantora neozelandesa Lorde, que faz um som meio indie, meio pop, meio Lana Del Rey com XX, tem abalado o cenário musical. Nesta semana ela deu o que falar: visitou o programa do David Letterman, deu uma tremenda audiência e ainda gravou uma versão para “Everybody Wants to Rule the World”, do Tears For Fears, para o filme Hunger Games (Jogos Vorazes). Estava ouvindo o novo álbum dela hoje, que vazou no YouTube, clique aqui e ouça enquanto é tempo. O disco é bem interessante.

 

Lily Allen lança vídeo e alfineta Robin Thicke

A Lily Allen está de volta e não está para brincadeira. Seu retorno não poderia ser melhor, acredite, o primeiro single divulgado pela cantora inglesa nesta semana, “Hard Out Here”, dá uma bela alfinetada no hit “Blurred Lines”, do cantor Robin Thicke. No vídeo da canção do músico pop, uma garota dança próxima à frase: “Robin Thicke tem um grande pênis” – uma piada sem graça, convenhamos. Em resposta, no vídeo divulgado pela cantora, eis que surge a mensagem: “uma vagina larga”, em resposta aos machões. O próximo álbum de Lily Allen está previsto para ser lançado em 2014 e, segundo a própria artista, o novo trabalho terá “vibrações feministas”. É por isso que adoramos a Lily!

 

David Bowie lança vídeo sexy, via revista VICE

David Bowie decidiu fazer uma parceria com a publicação VICE, revista cult linha editorial vai de sexo a geopolítica, para divulgar a nova versão do vídeo da faixa “Love Is Lost”, que integra a edição “de luxo” do álbum The Next Day. O vídeo é bonito, sexy e a canção é aquela remixada pelo James Murphy – com calorosos 10 minutos de duração.

 

Canções do próximo álbum do Jake Bugg vazam na web 

O músico-prodígio Jake Bugg, atração confirmado no line up do nosso Lollapalooza 2014, lança seu segundo álbum, Shangri La – gostei do nome –, na próxima semana. No início desta semana, o garoto inglês (ele tem apenas 19 anos) divulgou o primeiro single que irá compor seu novo trabalho, “Messed Up Kids”. A canção tem mesmo “jeito” de grande hit e repercutiu bem em diversas publicações – entre revistas especializadas e grandes jornais. Na última quinta-feira (14), outra faixa do Shangri La vazou na web, desta vez a bela “A Song About Love” – nem preciso dizer que a canção é uma balada (hehe). Fiquem de olho nesse moleque!