Cinemateca exibe clássicos do movimento Cinema Novo

Cena do filme “Esse mundo é meu”, de Sérgio Ricardo.

A ideia por trás do chamado Cinema Novo, manifestação artística ocorrida no cinema nacional em meados da década de 1950, dialoga, em alguns aspectos, com a temática do punk: do it yourself. Para grande parte dos cineastas desse grupo, não era necessário contar com investimentos milionários para elaborar um filme, o que importava era o conceito. E a abordagem destoava do mainstream – algo entre o neorrealismo italiano e a Nouvelle Vague francesa.

Sabe-se que o Cinema Novo teve dois períodos, o primeiro ao final dos anos 50 e outro entre 1964 e 1968, momento em que o país já vivia a ditadura militar. Obras de ambas as fases desse importante movimento serão exibidas na Retrospectiva Cinema Novo, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, até 14 de junho. Entre os destaques estão trabalhos assinados por Glauber Rocha, Joaquim Pedro de Andrade e Antonio Carlos Fontoura, entre outros.

Nesta semana, a programação exibe a nova cópia, em 35mm, do filme Esse mundo é meu, do diretor Sérgio Ricardo. Com o ator Antonio Pitanga no elenco, a cópia rara que será exibida na Cinemateca recebeu ajustes técnicos especialmente para integrar a mostra. Ou seja, imperdível.

Serviço:

Retrospectiva Cinema Novo

Cinemateca Brasileira

Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo.

Informações: (11) 3512-6111 ou contato@cinemateca.org.br.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s